Frederico Bussinger

Consultor. Foi presidente da Companhia Docas de São Sebastião (CDSS), SPTrans, CPTM e Confea. Diretor da Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp), do Departamento Hidroviário de SP e do Metrô de SP. Presidiu também o Conselho de Administração da CET/SP, SPTrans, Codesa (Porto de Vitória), RFFSA, CNTU e Comitê de Estadualizações da CBTU. Coordenador do GT de Transportes da Política Estadual de Mudanças Climáticas (PEMC-SP). Membro da Comissão Diretora do Programa Nacional de Desestatização e do Conselho Fiscal da Eletrobrás.

Seguem as controvérsias. Mas o certo é que cresce a participação da variável “mudanças climáticas” em outras políticas públicas... ao menos nos discursos e no papel.

0
0
0
s2smodern
powered by social2s
Que vexame! De novo? Patético: habilidosos jogadores catatônicos, cabisbaixos no adeus à Copa América! E pior: talvez seja só a ponta do iceberg de limitações nossas que transcendem ao futebol.

0
0
0
s2smodern
powered by social2s
Foto: www.not1.com.brLondres, sede das Olimpíadas-2012, é mais um (bom!) exemplo de grandes eventos alavancando requalificações urbanas: novos bairros, sistemas de transporte coletivo, parques, eco-construções... e, bem menos divulgado, um novo megaporto. Sim! Ali no coração da milenar região metropolitana!

0
0
0
s2smodern
powered by social2s
Desta vez faço apenas um clipping! A seguir, para quem não leu, trechos da revista do “Valor” sobre a Região Metropolitana do Recife (RMR), recentemente veiculada, aberta com dois subtítulos: “Indústrias de Suape aquecem a economia local” e o texto “Vocação logística e grandes projetos estão mudando o perfil da região, com sustentabilidade e inclusão social”. E ao longo dos textos:

0
0
0
s2smodern
powered by social2s
Foto: Rodolfo Stuckert/Agência CâmaraEm recente evento logístico na Capital, opiniões se dividiam naquela animada roda de executivos e parlamentares: “no Congresso falta discussão! Qual nosso projeto nacional?”. “Debatemos demais e, por isso, as implantações demoram” (ecoando o presidente da entidade ao abrí-lo). “Fazemos sem discutir, depois pagamos o preço”.

0
0
0
s2smodern
powered by social2s