• Cerca de 30 marítimos que atuam na frota de rebocadores do Porto do Açu participaram de um curso de atualização, dividido em três aulas, ao longo da última semana. O objetivo dos encontros, que aconteceram no Terminal Multicargas (T-MULT), foi qualificar comandantes, marinheiros e chefes de máquinas da Wilson Sons.

  • Profissional com ampla experiência no mercado de O&G, Tadeu participou da criação da Dome, subsidiária do Grupo Prumo, em 2016, e esteve à frente do desenvolvimento do seu plano de negócios. Ele liderou o início da operação da empresa em 2017, quando assumiu os cargos de CEO e membro do Conselho de Administração

  • Retrato fiel do jogo de interesses e da ausência de comprometimento com o País, a nomeação de diretores para a Companhia Docas do Rio de Janeiro (CDRJ) respeita apenas uma regra: a indicação forçada de políticos influentes na estatal

    navio o sol

  • O diretor-presidente, Rondon Brandão do Vale, garantiu que irá aplicar milhões de recursos financeiros em projetos, obras, manutenção de equipamentos, retomada da ampliação do quebra-mar, execução de dragagens, dentre outros

    codeba41anos

  • O objetivo do curso foi qualificar os participantes para o exercício de tarefas de Radioperador Geral, de acordo com a Regra IV/2 da Convenção Internacional STCW-1978 e suas emendas, bem como as normas da Autoridade Marítima Brasileira no tocante ao socorro e salvamento de pessoas e embarcações em situações de emergência

  • A mudança da poligonal é de fundamental importância para ampliar a capacidade portuária do Paraná, além de abrir portas para a atuação de empreendimentos privados, ampliando o setor, atraindo mais cargas para o estado e fortalecendo o Paraná como um importante polo portuário

  • O universo portuário brasileiro está atordoado com a suspensão do Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica (CNPJ) da Companhia Docas do Rio de Janeiro (CDRJ), oficializada pelo Ato Declaratório da Receita Federal nº 64, publicado em 30 de abril de 2018

  • Depois de avançar na automatização de processos e alcançar patamares internacionais em segurança industrial, a indústria química brasileira se prepara para novo salto de desempenho com a chamada Indústria 4.0.

  • O fato: O 2º leilão para arrendamentos portuários, no ciclo da Nova Lei dos Portos,não foi realizado. Estava previsto para ocorrer na Bovespa em 31/MAR/2016,envolvendo6 áreas/instalações no Pará (1 em Vila do Conde – a que foi retirada do leilão de DEZ/2015 (02; 03) por falta de interessados, 2 em Santarém e 3 em Outeiro).

  • Apesar da idade que tem, o navio é uma das tecnologias que menos evoluíram ao longo do tempo. Entretanto, essa sua história, que se confunde quase com a do ser humano, tem muitas, e não poucas, peculiaridades. O comércio marítimo representa em torno de 95% da balança comercial do Brasil e nesse setor flui mais da metade do dinheiro do mundo.

  • O setor portuário brasileiro começou 2016 com mais de R$ 2 bilhões em concessões para investimentos privados liberados ainda nos primeiros dias do ano, segundo divulgado pela Secretaria de Portos (SEP). O aporte, feito por grupos empresariais interessados na construção de terminais de uso privado em pontos estratégicos do país, é importante para manter aquecido o setor que ainda carece de estrutura para gerar ganhos de eficiência e reduzir custos com a importação e exportação. Além dos investimentos anunciados em janeiro de 2016 a Secretaria dos Portos planeja ainda publicar outros 21 editais para arrendamentos neste primeiro semestre.


    O estado do Maranhão foi o primeiro a receber a autorização do governo para que a WPR São Luís Gestão de Portos e Terminais – do grupo WTorre – possa investir R$ 780 milhões na construção do quarto Terminal de Uso Privado do estado. Além deste, estão previstos outros investimentos na Bahia e no Espírito Santo. A Bahia Terminais investirá R$ 850 milhões na área portuária de Candeias (BA) e a Nutripetro, empresa especializada em gestão portuária, comércio marítimo e soluções logísticas integradas de grande porte, R$ 279 milhões em Aracruz (ES). Segundo a Secretaria dos Portos, apenas o investimento em São Luís incrementará a movimentação de cargas em 24 milhões de toneladas, garantindo competitividade e ampliando a oferta para escoamento da produção brasileira.


    Evento do setor
    Para o executivo, Ricardo Barbosa, gerente da InfraPortos South America - única feira na América do Sul dedicada à tecnologia e equipamentos para armazéns, terminais e portos - os investimentos chegam em boa hora, visto que aquecerão a demanda por equipamentos e serviços para a operação portuária, além de fomentar a geração de empregos. “Os setores portuários e de infraestrutura logística vêm na contramão da recessão que atinge grande parte dos setores produtivos. Em 2015 foi o único setor a receber repasses

    ...
  • O Hyundai Loyalty, maior porta-contêiner a operar em portos brasileiros, atracou em Itapoá no dia 27 de maio último. Com 340 metros de comprimento e 46 metros de largura, a embarcação do armador Hyundai Merchant Marine (HMM) tem capacidade total de armazenagem de 8,6 mil TEUs (TEU é a unidade padrão de contêiner).

  • Com o objetivo de atender a demanda gerada pela produção na cidade de Imperatriz, a Empresa Maranhense de Administração Portuária (Emap) irá conceder para a iniciativa privada um terminal de carga geral especializado na movimentação de celulose e papel no Porto do Itaqui

  • O presidente da Federação Nacional dos Portuários (FNP), Eduardo Guterra, está preocupado e indignado com as recentes propostas de privatização das companhias docas do País. De acordo com ele, está claramente configurado um ataque a essas empresas públicas, listando recentes demissões, acordos coletivos irregulares e o aumento substancial de contribuição do Portus

  • Juntos, os portos públicos e TUPs catarinenses responderam por 2,95% das exportações brasileiras em 2017. A expectativa para este ano, de acordo com os números da corrente de comércio do Estado registrada nos cinco primeiros meses de 2018, é que ocorra um aumento de 0,6 ponto percentual, chegando à fatia de 3,5% em relação às movimentações em território nacional 

  • Neste mês de maio de 2018 a presidência foi delegada ao engenheiro Osny Souza Filho, ex-prefeito da Cidade entre 1997 e 2004, durante dois mandatos. As indicações políticas, portanto, também ocupam os principais da estatal SCPar Porto de Imbituba, contribuindo para multiplicar a inefiência portuária no território brasileiro

  • No dia 31 de maio último, foi realizada a segunda movimentação de granito do ano no Porto de Salvador (BA). Dessa vez, foram carregadas 2,5 mil toneladas da rocha no navio Grouse Arrow, que seguem com destino à cidade francesa de Sète.

  • Aqui apresentaremos para vocês as características e localidades dos principais portos do Brasil em 2016, além de algumas curiosidades sobre esses portos incríveis.
    Os portos a seguir foram escolhidos por um critério de ranqueamento de movimentação de carga dos Portos Organizados da própria ANTAQ (Agência Nacional de Transportes Aquaviários), o órgão brasileiro responsável pela regulamentação, controle tarifário, estudo e desenvolvimento do transporte aquaviário do Brasil(saiba mais aqui).

     

    Ebook Manual do Transporte Aquaviário e Portos do Brasil


    Além disso, iremos expor as fases de crescimento e os pontos de melhoria dos portos para este ano de 2017. Veja abaixo a apresentação da movimentação de carga total dos portos citados abaixo e se surpreenda!

    Fonte: (https://webportos.labtrans.ufsc.br/Brasil/Movimentacao) Acessado em 03/04/2017.

    Fonte: (https://webportos.labtrans.ufsc.br/Brasil/Movimentacao) Acessado em 03/04/2017.
    Fonte: (https://webportos.labtrans.ufsc.br/Brasil/Movimentacao) Acessado em 03/04/2017.

    Fonte: (https://webportos.labtrans.ufsc.br/Brasil/Movimentacao) Acessado em 03/04/2017.

    1. Porto de Santos (SP):

    ...
  • A Localfrio se comprometeu a divulgar, a partir do dia 17 último, um laudo parcial sobre o grave acidente ocorrido, em 14 de janeiro último, em seu terminal em Vicente de Carvalho, na margem esquerda do Porto de Santos, quando pegaram fogo mais de 50 contêineres com produtos químicos, entre eles ácido dicloro isocianídrico. A Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp), autoridade portuária local, também prepara relatório sobre as ações e dificuldades enfrentadas pelas equipes de emergência.

    Leia também
    Portos: explosões e lições nunca aprendidas
    Incêndio na Alemoa: onde não há informação, há boataria

    O presidente da Codesp, José Alex Botelho de Oliva, solicitará à Localfrio informações sobre a causa da ocorrência e implantação de medidas para evitar ocorrências similares. “A empresa deverá encaminhar um plano de ação para efetuar medidas para corrigir as não conformidades ocorridas durante o sinistro, no que tange a mitigação dos impactos ambientais.”

    A apuração das responsabilidades também envolverá instituições dos governos do estado e federal, como o Corpo de Bombeiros, a agência ambiental estadual (Cetesb) e o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), órgão ligado ao Ministério do Meio Ambiente. O incêndio liberou fumaça que deixou, principalmente, as cidades de Guarujá e Santos em estado de alerta e provocou a ida de centenas de moradores aos hospitais locais com sintomas de intoxicação respiratória. Ainda há a apuração da morte de duas pessoas após o incêndio por complicações respiratórias.

    Já o Grupo de Atuação Especial de Defesa do Meio Ambiente (Gaema), ligado ao Ministério Público Estadual, quer

    ...
  • O prazo de execução da obra é de 18 meses e será realizado pela empresa vencedora da licitação, o Consórcio B201 (Tucumann e TMSA). O projeto consiste no prolongamento de 100 metros da estrutura civil do berço de atracação 201 e modernização das estruturas dos berços 201 e 202, o que possibilitará o aprofundamento da navegação para 13,70 metros