O setor portuário brasileiro começou 2016 com mais de R$ 2 bilhões em concessões para investimentos privados liberados ainda nos primeiros dias do ano, segundo divulgado pela Secretaria de Portos (SEP). O aporte, feito por grupos empresariais interessados na construção de terminais de uso privado em pontos estratégicos do país, é importante para manter aquecido o setor que ainda carece de estrutura para gerar ganhos de eficiência e reduzir custos com a importação e exportação. Além dos investimentos anunciados em janeiro de 2016 a Secretaria dos Portos planeja ainda publicar outros 21 editais para arrendamentos neste primeiro semestre.


O estado do Maranhão foi o primeiro a receber a autorização do governo para que a WPR São Luís Gestão de Portos e Terminais – do grupo WTorre – possa investir R$ 780 milhões na construção do quarto Terminal de Uso Privado do estado. Além deste, estão previstos outros investimentos na Bahia e no Espírito Santo. A Bahia Terminais investirá R$ 850 milhões na área portuária de Candeias (BA) e a Nutripetro, empresa especializada em gestão portuária, comércio marítimo e soluções logísticas integradas de grande porte, R$ 279 milhões em Aracruz (ES). Segundo a Secretaria dos Portos, apenas o investimento em São Luís incrementará a movimentação de cargas em 24 milhões de toneladas, garantindo competitividade e ampliando a oferta para escoamento da produção brasileira.


Evento do setor
Para o executivo, Ricardo Barbosa, gerente da InfraPortos South America - única feira na América do Sul dedicada à tecnologia e equipamentos para armazéns, terminais e portos - os investimentos chegam em boa hora, visto que aquecerão a demanda por equipamentos e serviços para a operação portuária, além de fomentar a geração de empregos. “Os setores portuários e de infraestrutura logística vêm na contramão da recessão que atinge grande parte dos setores produtivos. Em 2015 foi o único setor a receber repasses de investimentos federais e já no início deste ano recebe mais aportes”, pontuou.

 

slideshow2

Pin It
0
0
0
s2smodern
powered by social2s