O complexo portuário de Santa Catarina, no sul do Brasil, é formado por três portos públicos – Imbituba, Itajaí e São Francisco do Sul. Conta, ainda, com os terminais de uso privado (TUPs) Portonave e Porto Itapoá. Juntos, os portos públicos e TUPs catarinenses responderam por 2,95% das exportações brasileiras em 2017. A expectativa para este ano, de acordo com os números da corrente de comércio registrada nos cinco primeiros meses de 2018, é que ocorra um aumento de 0,6 ponto percentual, chegando à fatia de 3,5% em relação às movimentações em território nacional.

Estrategicamente instalados na costa catarinense, estes portos e terminais mantêm linhas regulares para as principais cidades portuárias do mundo e fazem do estado o maior polo concentrador de contêineres do Brasil. Juntos, movimentaram cerca de 36,5 milhões de toneladas e 1,8 milhão de TEUs (Twenty-foot Equivalent Unit - unidade internacional equivalente a um contêiner de 20 pés), não somente em mercadorias produzidas em Santa Catarina, mas provenientes de 21 estados da Federação. 

aerea sfs
Imagem aérea do Porto de São Francisco do Sul

Cerca de US$ 6,43 bilhões foram embarcados nestes portos em 2017, de um total de US$ 217,74 bilhões exportados pelo País, pelos modais marítimo, aéreo e terrestre. Estima-se que a movimentação dos portos catarinenses em 2018 se aproxime dos US$ 240 bilhões, com embarques e desembarques de aproximadamente 40 milhões de toneladas.

Esse potencial, que garante grande vantagem competitiva, será destacado na feira Logistique, a maior do setor logístico do Sul do Brasil, de 23 a 25 de outubro, no Centro de Exposições Expoville. Com a temática Otimização Logística com a Perfeita Integração entre os Modais, abordará a logística de ponta a ponta, apresentando fornecedores e soluções para toda a cadeia de Logística e Transporte, criando um ambiente extremamente favorável à geração de negócios e networking, nesta nova oportunidade para a logística brasileira. A expectativa é de reunir mais de cem marcas e 15 mil visitantes nos três dias do evento.

“A infraestrutura logística é um dos diferenciais de Santa Catarina, que ocupa a segunda posição no Ranking de Competitividade dos Estados, atrás apenas de São Paulo. O índice considera variáveis como segurança pública, seguridade social, infraestrutura, solidez fiscal, eficiência da máquina pública, capital humano, inovação, potencial de mercado e sustentabilidade ambiental, e mede a atratividade dos estados para investimentos”, explica Leonardo Rinaldi, diretor da Logistique.

Pin It
0
0
0
s2smodern
powered by social2s