• O Porto de Paranaguá passa por atividades de dragagem de aprofundamento desde o meio do mês de fevereiro. O intuito é aumentar a profundidade do Canal da Galheta para 16 metros e garantir maior produtividade.

  • A adoção de um valor máximo para a cobrança de pedágio em rodovias federais é um cenário cada vez mais provável de se tornar realidade; índice de pavimentação de estradas no País é vergonhoso; o grupo belga Jan De Nul, especializado em dragagem e atividades de construção marítima, será o responsável pela dragagem de aprofundamento do Porto de Maceió; integrantes de grupos organizados cooptam trabalhadores que operam de alguma forma na cadeia logística para enviar cocaína em navios para o exterior

    pedagio cobranca

  • As restruturações que vem sendo realizadas, a 45 dias do presidente eleito Jair Messias Bolsonaro tomar posse, passam a impressão de desmonte da empresa para causar problema ao novo governante. Convém destacar que como coordenador do Grupo de Trabalho e assessor especial do MTPA sobre os contratos de dragagem, Luiz Fernando manifestou-se favorável à possibilidade de passar esse serviço à iniciativa privada

  • Em comunicado enviado a este blog, a Praticagem de Santos atribuiu o feito à utilização do Redraft (sistema que mede o calado dinâmico) e aos dados obtidos em tempo real pelo Centro de Coordenação, Comunicação e Operações de Tráfego (C3OT) da entidade

  • Portogente irá realizar o Summit Virtual 4 Anos de Lei dos Portos (12.815/2013). Ainda com data a definir, o site irá promover atividades online, incluindo vídeos com especialistas, publicação de artigos, painéis com debates e intensa interatividade com os internautas

    navioscapa

  • A leitura dos documentos, que deveriam ser públicos, aos quais teve acesso o jornalista Bruno Merlin, talvez esclareça a razão do silêncio da estatal. Inexplicavelmente, a empresa brasileira controlada pelo grupo belga Deme apresentou uma reclamação cobrando o valor de R$ 15.432.093,16 e recebeu R$ 18 milhões da estatal Codesp, sociedade de economia mista que deveria zelar pelo interesse público

  • Na "dança das cadeiras portuárias" para 2019 já é possível afirmar que o diretor-presidente da Companhia Docas de São Paulo (Codesp), Luiz Fernando Garcia da Silva, que assumiu o comando após a prisão de José Alex Botelho de Oliva na Operação Tritão da Polícia Federal, assumirá a direção da Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa). A indicação faz sentido, afinal Luiz Fernando é formado em Economia pela Universidade Federal do Paraná (UFPR) e trabalhou como assessor do ministro dos Transportes desde janeiro de 2017

  • O Regime Diferenciado de Contratações (RDC) constitui-se em um paradigma na contratação de dragagem privilegiando as premissas de celeridade nos procedimentos, eficiência de contrato e tutela com desenvolvimento tecnológico e sustentabilidade ambiental

  • Aconteceu na quinta-feira (31) reunião no gabinete do diretor superintendente do Porto do Rio Grande, Janir Branco, com integrantes da organização não governamental (ONG) SOS Cassino. O assunto do encontro foi o andamento do processo de licenciamento da dragagem de manutenção do Porto do Rio Grande.

  • A draga Pearl River tem capacidade para dragar até 24 mil metros cúbicos em uma única viagem. A embarcação tem 182 metros de comprimento e 28 metros de largura. Ela pode chegar a uma velocidade de até 15 nós

  • O Tribunal Superior do Trabalho (TST) julgou procedente o pedido de um guarda portuário da Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp) de recebimento de indenização decorrente da redução parcial das horas extras habitualmente prestadas por ele, ainda que a alteração tenha sido decorrente do cumprimento de Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) firmado com o Ministério Público do Trabalho (MPT).

  • O canal de navegação – tanto na parte interna como na externa – passa a contar com 14 metros de profundidade e todos os berços apresentam resultados positivos de aumento de calado. Embarcações de até 70 mil toneladas para carga geral e granéis e de 50 mil toneladas para contêineres poderão acessar o porto da capital capixaba