• Portogente encaminhou indagações sobre o critério de medição da dragagem do Porto de Santos (SP) e a assessoria de imprensa da contratada para dragar o canal de acesso, a Dragabrás, nome fantasia da gigante belga Deme, não respondeu.

  • Enquanto caminhoneiros se manifestam pelo custo do combustível e o governo para reduzir o diesel corta até no SUS e na educação para alinhar o custo do transporte, no maior porto do País o custo é tratado com desaforo.

  • O mercado internacional de Dragagem começa a se reaquecer em Dubai, e nos Tigres Asiáticos, principalmente em função dos recentes alargamentos e aprofundamentos dos canais de Suez e do Panamá, que permitirão, em época de crise mundial, o barateamento do frete marítimo no Arco Norte, através da utilização de navios de maior porte nas novas vias mais profundas.

  • A manifestação desalentada do fundador e presidente da Bandeirante Dragagem, Ricardo Sudaiha, que tem uma longa vida profissional renhida e dedicada à dragagem portuária, acende a luz vermelha alertando da ameaça ao comércio marítimo do Brasil.

  • Embora por força das circunstâncias Santos tenha sido erigido informalmente a hub port (porto concentrador de cargas), sabe-se que, em razão de suas características geofísicas, nunca haverá de atingir esse patamar, exceto se, algum dia, vier a dispor de uma plataforma offshore (afastada da costa), que permita a entrada de megacargueiros.

  • Em 22 de julho de 2017, o Conselho de Administração (Consad) da Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp) deliberou o até agora inexplicável pagamento no valor de R$ 18.000.000,00 à Dragabrás...

  • É bem difícil acreditar que, em pleno Século XXI, com tantos progressos em termos de ciência, inovação e tecnologia, onde a engenharia sempre entra com grandes e valorosas contribuições, que a dragagem de aprofundamento e o alargamento do canal de acesso ao Porto de Santos...

  • O atual superintendente do Porto de Itajaí é o advogado Fábio da Veiga. Nesta entrevista especial ao Portogente, ele fala sobre os atuais projetos do porto catarinense. O executivo está otimista com as expectativas de ampliação da área operacional e de uma gestão a partir da nova concessão, que vem sendo analisada em Brasília.

  • Diretor-presidente do Porto de Imbituba, Jamazi Alfredo Ziegler, fala sobre os planos para o complexo portuário catarinense, que alcançou o maior resultado operacional e financeiro da história, em 2018. E as boas notícias, a depender do presidente anunciado, em 18 de janeiro último, pelo governador Carlos Moisés, só tendem a aumentar.

  • Componentes podem ser de grande ajuda em atividades nas áreas de barragens colapsadas, como aconteceu neste início de 2019 em Brumadinho e novembro de 2015 em Mariana, ambos municípios localizados em Minas Gerais. A aplicação desses equipamentos também pode gerar benefícios em trabalhos programados de redução dos volumes nas barragens de rejeitos de mineração que eventualmente possam estar sob risco de rompimento

  • É realmente boa a intenção do presidente da Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp), Casemiro Tércio Carvalho, de lançar um edital de chamamento público para recebimento de doações de estudos portuários

  • Promovido semestralmente pela Federação das Associações Empresariais de Santa Catarina (Facisc), mais um Fórum Parlamentar Catarinense de Lideranças Regionais reuniu lideranças políticas, empresariais, de entidades de classe e demais órgãos públicos da região do Vale do Itajaí...

  • Diante das dificuldades enfrentadas pelo Governo Federal para a contratação da dragagem do Porto e das inúmeras reduções de calado causadas pela má gestão da obra nos últimos anos, um grupo de empresários do cais santista propôs a privatização do serviço

  • O Porto de Paranaguá (PR) acaba de receber um dos maiores rebocadores já fabricados no Brasil. Com 32 metros de comprimento, 12 metros de largura (boca), o rebocador Starnav Sirius foi construído em Itajaí (SC) e tem capacidade para realizar manobras de atracação e desatracação de navios carregados com mais de 70 mil toneladas.

  • De acordo com a administração do Porto, a primeira fase da dragagem prevê a retirada de cerca de 3,5 milhões de metros cúbicos de sedimentos, número equivalente a quase 20% do total do plano previsto em 18,7 milhões de metros cúbicos

  • O volume de importação de fertilizantes no Porto de Vitória (ES) deverá crescer mais de 35% em 2018. O aumento será possível graças aos investimentos que estão sendo realizados na retroárea do Cais de Capuaba, em Vila Velha.

  • De certo, a maior preocupação de autoridades portuárias que dependem da dragagem para o acesso a seus terminais é o “índice de assoreamento” na área de interesse. Pode-se afirmar que a existência de assoreamentos está vinculada às contribuições advindas de áreas, à montante à assoreada, resultantes de aportes de material sólido por carreamentos, por transporte em suspensão e floculação, por deslizamentos e por todos esses, em razão de processos erosivos nas suas proximidades

  • A diretora presidente da Companhia Docas da Paraíba (Docas PB), Gilmara Temóteo, participou nesta quarta-feira (25) de uma reunião com a Câmara de Comércio e Indústria Japonesa para apresentar as potencialidades do Porto de Cabedelo, em especial o Terminal de Múltiplos Usos (TMU) visando atrair investidores asiáticos para o projeto.

  • A Companhia Docas de São Paulo (Codesp) realizará licitação para contratação do serviço de dragagem de manutenção das profundidades de todo canal de navegação, bacias de evolução e acesso a berços do Porto de Santos pelo prazo de 12 meses.

  • O Porto de Vitória (ES) fechou 2017 com aumento de 7% na movimentação total de cargas e de 4% na arrecadação, em comparação ao ano anterior. Indica que mesmo num período economicamente difícil conseguiu ampliar os negócios, graças às novas parcerias e investimentos em infraestrutura e operação.