Embarcações com maiores calados e mais carga em suas dependências já podem acessar o Porto de Vitória, no Espírito Santo. A Resolução nº 84/2018, da Norma de Navegação da Autoridade Portuária (Normap) 1, foi publicada na tarde desta sexta-feira, 28 de dezembro, no site da Companhia Docas do Espírito Santo (Codesa). A norma foi liberada pela Capitania dos Portos do Espírito Santo (CPES) e representará ganhos reais de capacidade de 34,3%.

porto vitoria canal
Canal de navegação do Porto de Vitória - Foto: site oficial da Codesa

Leia também
* Portaria 574 disciplina descentralização dos portos e cria Índice de Gestão
* Codesa será transformada de Sociedade de Economia Mista em Empresa Pública de Capital Fechado

Os testes para a implantação das novas medidas, realizados no laboratório da Universidade de São Paulo (USP), foram acompanhados por técnicos da Codesa, da Marinha e da Praticagem, cujas atuações foram fundamentais para a obtenção dos positivos resultados.

O canal de navegação – tanto na parte interna como na externa – passa a contar com 14 metros de profundidade e todos os berços apresentam resultados positivos de aumento de calado. Embarcações de até 70 mil toneladas para carga geral e granéis e de 50 mil toneladas para contêineres poderão acessar o porto da capital capixaba. O tamanho também foi aprovado: os terminais podem receber navios de até 244,99 metros.

"Os ganhos são reais em todos os sentidos. Foram atingidas a profundidade do canal e calados pretendidos. Agora vamos acompanhar, na prática, o comportamento do trânsito de navegação, comparando com os resultados obtidos durante a fase da campanha de simulação de acesso e manobras"€, explicou o diretor de Infraestrutura e Operação da Codesa, no exercício da presidência, Guilherme Magalhães.

calado porto vitoria

Segundo Magalhães, esta regulamentação representa uma etapa importante para a operação do Porto. "Os resultados deste novo ciclo que se inicia são fundamentais para a contribuição do desenvolvimento econômico do estado, mas as ações continuam. Agora estamos iniciando as mudanças na localização das boias, já que temos novas profundidades"€.

As informações são da assessoria de comunicação da Codesa.

Pin It
0
0
0
s2smodern
powered by social2s