Caros leitores,


Neste artigo, iremos conhecer as obras que permitiram que a rede hidroviária francesa inter/igasse bacias hidrográficas distintas: o túnel-canal e a ponte-canal.


 

A interligação de regiões distantes, localizadas em bacias hidrográficas diferentes, era um desejo do reino com finalidades estratégicas e comerciais. Entretanto essa conexão era difícil, pois os rios corriam em sentidos contrários e a transposição do divisor de águas, os pontos mais altos do relevo, era o grande desafio.

A construção de um túnel que desse a continuidade ao canal, ligando as duas vertentes opostas foi a solução encontrada. Essa solução exigiu também obras complementares como reservatórios d'água (pequenas represas), para abastecer o túnel canal além das eclusas.

 

 

Túnel Canal de Columbiere

 

 

 

Túnel do Canal do Reno ao Ródano

 

 

Túnel Canal de Bourgogne

 


A primeira obra com esse objetivo foi construída em 1662 por Pierre PauI Riquet por ordem do rei Luís XIV, entre Sete ,no Mar Mediterrâneo, e o Porto de Bordeaux no Oceano Atlântico, nos pés dos contrafortes dos Pirineus, junto a fronteira com a Espanha. A obra teve a duração de 14 anos.

O canal uniu as águas dos rios Garrone e Aude numa extensão total de 433 km, sendo o Canal do Midi com 240 km e o canal lateral ao Rio Garrone com 193 km, este construído em 1878.

 

Canal du Midi: Le Canal des Deux Mers  - Canal do Midi: O Canal dos Dois Mares

 


A largura do canal é de 19 m e nas eclusas de 6 m, com profundidade de 1,6 m. O desnível é de 189 m, vencido com 64 eclusas, com gabarito Riquet de forma ovaIada. As duas vertentes são unidas pelo túnel canal de MaIpas. Para abastecer todo esse sistema hidráulico foram construídas 2 represas.

 

Canal do Midi em Toulouse

 

 

Eclusa Gabarito Riguet - Canal do Midi

 


O Canal do Midi, como ficou conhecido, também era chamado de “Canal dos Dois Mares” e foi importante para a França nos séculos seguintes em seus confrontos bélicos com a Inglaterra, pois permitia abastecer as tropas sem a necessidade de contornar a Península Ibérica.

 

Túnel Canal de Malpas

 


A construção do canal lateral permitiu a navegação no trecho do Rio Garrone, onde o fluxo da correnteza d'água e torrencial. A ponte canal permite cruzar transversalmente o seu leito, interligando o canal lateral ao canal de acesso ao túnel canal.

 

Canal lateral do Rio Garrone

 

Ponte Canal de Agen sobre o Rio Garrone


O Canal do Midi foi importante economicamente até a implantação das ferrovias na segunda metade do século XIX. A partir da construção da Compagnie des Chemins de Fer du Midi, o canal perdeu sua importância comercial e atualmente é utilizado plenamente em cruzeiros fluviais organizados por agencias de turismo como também por embarcações de recreio, lanchas e veleiros. O canal do Midi é considerado um patrimônio da humanidade pela Unesco.

Outros canais também foram construídos, utilizando a mesma tecnologia, ligando importantes bacias hidrográficas como o Canal do Reno (Mar do Norte) ao Rodano (Mediterrâneo), o Canal do Marne (Paris) ao Reno (Strasbourg), e o Canal de Briari entre o Sena e Loire, uma verdadeira obra de arte.

 

Referências bibliográficas:

L' Office National de la Navigation, La voie navigable: une voie
d'avenir. Paris: Automedon, 1980. 56p.

Robin, C., Bergeaud, C. Le français par la méthode directe Deuxiéme livre. Paris: Librairie Hachette, 1951. 186p.

http:[[www.canaI-du-midi.orgZeninsthubrigueslcanallhistoire.htm

http : [[www.batacanal.cchesknyotogaIerieZtuneI.htm

http:[[www.home.zonnet.nIZMouringh.MargaZRhoneRhin eng.htm

Pin It
0
0
0
s2smodern
powered by social2s