Caros leitores,

Neste artigo, iremos conhecer o canal do Rio Marne ao Rio Reno, que permitiu a ligação de Paris, no Rio Sena, ao porto de Strasbourg, no Rio Reno, na divisa com a Alemanha.


 

 

Porto de Chalons sur Marne no início do século XX

 

A ligação fluvial do Rio Marne, afluente do Rio Sena, ao Rio Reno, construída durante o império de Napoleão Bonaparte, no início dos anos 1800, foi estratégica por permitir que o exército da França atingisse a Alemanha e o Mar do Norte, Holanda e Dinamarca, sem navegar pelo Canal da Mancha, sitiado pelos ingleses.

 

Halage animal e um comboio a vapor em Mauvages em meados do século XIX

 

 

Canal do Marne ao Reno cruzando área urbana da Alsácia

 

Desde essa época a região da Alsácia e da Lorena era importante para a política geo-econômica da Europa, tendo havido uma alternância de posse do território entre franceses e germânicos até a 2ª Guerra Mundial.

O Canal do Marne ao Reno tem 289 quilômetros de extensão, é transposto por 127 eclusas de gabarito freycinet, para embarcações de 38,5 m de comprimento por 5,05 m de largura, carregando até 400 toneladas de carga. A profundidade do canal é de 1,80 m.

 

Canal do Marne ao Reno na região de Saverne na Alsácia

 

Para ultrapassar as montanhas de Vosges, a ligação fluvial dispõe de do túnel canal de Gondrexange com 2.600 m de comprimento, além do plano inclinado de Arzviller, que substituiu uma seqüência de 17 eclusas, na sua inauguração em 1969.

 

Plano inclinado Saint Louis-Arzviller

 

Trechos do antigo canal ainda existem, mas não são utilizados pela navegação, pois as instalações e eclusas estão abandonadas. As antigas residências dos guardiões das eclusas ainda resistem ao tempo e algumas são utilizadas como casa de campo.

 

Pequena locomotiva usada na halage das embarcações e uma eclusa desativada

 

O canal do Marne ao Reno ligou cidades importantes como Strasbourg, Nancy, Chalons sur Marne e Paris e o tráfego fluvial era composto por cereais, madeira, vinho e cerveja.

Modernizado após a 1ª Guerra Mundial, o Canal do Marne ao Reno teve halage ferroviária, a qual substituiu a tração animal, utilizando pequenas locomotivas.

 

Mapa da Alsácia
Eclusa gabarito freycinet (41 m x 5,5 m) do canal Marne ao Reno

 

Como em todos os canais de navegação fluvial o fluxo de turistas é importante, principalmente entre o Rio Reno e os Vosges, em função do plano inclinado de Arzviller, uma atração para os passageiros das embarcações de recreio.

Túnel canal de Gondrexange
Embarcações de recreio e uma peniche freycinet no Canal do Marne ao Reno

 

Referências bibliográficas:

L’ Office National de la Navigation, La voie navigable: une voie d’avenir. Paris: Automedon, 1980. 56p.

Robin, C., Bergeaud, C. Le français par la méthode directe – Deuxième livre. Paris: Librairie Hachette, 1951. 186p.

Henry, B.,Henry M. Voyageurs aux longs jours. Paris: Les Éditions Arthaud, 1982.216p.

http://www.home.zonnet.nl/Mouringh.Marga/index_eng.htm

http://www.home.zonnet.nl/Mouringh.Marga/MarneRhin_eng.htm

http://www.waterways.cc/land.php?land_id=25&language=2

http://www.waterways.cc/kanal.php?land_id=2&kanal_id=67&language=2

Pin It
0
0
0
s2smodern
powered by social2s