• As restruturações que vem sendo realizadas, a 45 dias do presidente eleito Jair Messias Bolsonaro tomar posse, passam a impressão de desmonte da empresa para causar problema ao novo governante. Convém destacar que como coordenador do Grupo de Trabalho e assessor especial do MTPA sobre os contratos de dragagem, Luiz Fernando manifestou-se favorável à possibilidade de passar esse serviço à iniciativa privada

  • O Porto de Santos (SP) lançou, recentemente, um programa de capacitação ao seu corpo técnico, em diversas áreas afetas à gestão portuária, em parceria com o portal de logística Portogente. Ao ampliar essa iniciativa aos colaboradores da Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp), em sintonia com os seus interesses, objetivos e estratégias, vai contemplar todo o seu setor portuário. Sem dúvida, um passo inovador e fundamental para a produtividade do capital.

    Portogente é hoje o maior e mais acessado portal de transportes e logística do Brasil, com alcance internacional, e conta com mais de 83 mil alunos inscritos. Seus cursos ministrados online, por meio de plataforma avançada permite ao aluno acesso aos conteúdos, tirar dúvidas, participar de bate-papos e de fóruns, receber orientação e ser avaliado em quaisquer hora e local. Detalhes que fazem a diferença nos dias de hoje.

    O comércio global e a globalização são determinantes de centenas de variáveis, entre as quais a maneira de fazer comércio. Encolher o tamanho do mundo, aumentando a velocidade ou a capacidade dos navios, é um modo de tornar mais ágil a cadeia de suprimentos. Em suma, reduzir ao mínimo o tempo em que o capital de giro fica atrelado a mercadorias em trânsito.

    Aumento dos navios e consequente demanda de maior velocidade dos portos e terminais resultam em pressão nos custos operacionais e dos investimentos. Ante esse cenário de mudanças, a primeira tarefa da administração é definir quais os resultados esperados do empreendimento a seus cuidados.

    A recem empossada diretoria do Porto de Santos ao profissionalizar a gestão da empresa, ao investir na motivação, satisfação e produtividade das pessoas, demonstra que, lembrando Peter Drucker, o meio de produção é o conhecimento. Ao tratar os custos de mão obra como investimento, a Codesp produz resultados para modificar a sociedade. Exemplo de administração a ser seguido.

  • O Porto de Santos (SP) bateu já em novembro o recorde anual de movimentação de cargas, ultrapassando o resultado total obtido em 2015. Foram 119,95 milhões de toneladas que passaram pelo cais santista em 2017, contra 119,96 milhões do recorde anterior, de acordo com números levantados pela Gerência de Estatísticas da Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp).

  • O Porto de Santos (SP) iniciou o ano de 2018 retomando as taxas de crescimento recorde na movimentação de cargas. Embarques e desembarques somaram 8,99 milhões de toneladas, o melhor resultado histórico para o mês de janeiro.

  • A obra foi contratada pela Codesp no valor R$ 6.594.118,04 e iniciada em agosto do ano passado. Os serviços demandaram uma logística especial de trabalho, em virtude do elevado tráfego de caminhões na via

  • O relatório que a Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (Cepal), organismo criado em 1948 pelo Conselho Econômico e Social da Organização das Nações Unidas (ONU), prepara a cada ano mostra que o porto de Santos continuou a ocupar em 2015...

  • A movimentação de cargas no Porto de Santos (SP) registrou, em agosto, novo recorde mensal, atingindo o total de 12.342.511 toneladas. Após romper a barreira dos 12 milhões de toneladas, até então o maior movimento mensal da história, verificado em julho último, o novo recorde o superou em 2,4% e em 15,8% o resultado de agosto do ano passado (10.661.252 t).

  • Em vez de iniciar dos fins para os meios, o presidente da Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp), Casemiro Tércio, resolveu abrir uma caixa de ferramentas desgastadas pelo tempo e inadequadas para construir um porto para concorrer com os asiáticos. Propõe um modelo de dragagem por resultado, uma ideia de mais de 20 anos e há muito tempo defendida no Portogente

  • Casemiro Tércio é formado pela Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (USP) e pela Advanced Management Program (AMP) da IESE Business School. Foi presidente do Porto de São Sebastião e ex-diretor do Departamento Hidroviário do Estado de São Paulo, além de sócio fundador e head de infraestrutura da Garín Investimentos e do Bureau da Engenharia

  • O caso da astronômica dívida superior a R$ 2 bilhões do terminal do Grupo Libra no Porto de Santos - de grave prejuízo à companhia portuária que se arrasta desde as sentenças proferidas em 23 de março de 2004 pela juíza da 4.ª Vara Federal de Santos, Alessandra Aguiar Nuynes Aranha...

  • Não são poucos os desafios do estado de São Paulo para o aperfeiçoamento da mobilidade urbana e para o aumento da competitividade do transporte de cargas, tendo grande impacto em âmbito nacional 

  • A quem servem as atuais diretorias dos portos do Brasil? Repetindo o passado, são indicações pessoais desalinhadas dos objetivos dos portos e justificadas por argumentos absolutamente anacrônicos em relação à evolução do comércio global.

  • Até o ano de 1940, os serviços de Praticagem em todo o Brasil, eram exercidos por práticos independentes, trabalhando individualmente em pequenos grupos.

  • Portogente dá prosseguimento à publicação de entrevistas com presidentes de autoridades portuárias destacando visão e postura do atual mandatário do Porto de Santos, Casemiro Tércio Carvalho. Nas respostas enviadas à nossa redação ele destacou que o novo Plano de Desenvolvimento e Zoneamento (PDZ), em fase de elaboração, "tem como premissa condensar e adensar as áreas de movimentação de cargas" com o objetivo de formar clusters e aumentar a produtividade do porto santista

  • Vem dos portuários de Santos (SP), onde está o maior porto do Hemisfério Sul, posicioamentos contrários à privatização das administrações públicas dos 37 portos organizados do País, as chamadas "docas".

  • Muito acertada a iniciativa da Seção de São Paulo da Ordem dos Advogados – (OAB SP), a maior do País, de promover um evento-debate sobre a privatização do Porto de Santos.

  • Não é comum, e nem aceitável, que um navio de carga derrube contêineres no mar, espalhando diversas mercadorias e substâncias no oceano. Os prejuízos comerciais e ambientais para a sociedade são irreparáveis e esse tipo de fato precisa ser evitado. No entanto, foi o que aconteceu na Barra do Porto de Santos, no litoral paulista, durante a madrugada desta sexta, 11 de agosto, em pleno ano de 2017

    naviologin conteiner santos

  • Enquanto o secretário Nacional de Portos e Transportes Aquaviários, Diogo Piloni, navega sem rumo na reforma dos portos brasileiros, aumenta o abismo entre a produtividade portuária brasileira e as dos grandes portos mundiais.

  • A privatização da Autoridade Portuária do Porto de Santos é uma ação ainda muita polêmica, até porque estamos falando do maior e mais importante complexo portuário do Hemisfério Sul.

  • Na surdina, o presidente Michel Temer (PMDB) mantém alguns de seus tentáculos políticos amarrados ao Porto de Santos há mais de duas décadas. Mas essa relação quase umbilical pode ser reponsável pela sua derrocada