A quem servem as atuais diretorias dos portos do Brasil? Repetindo o passado, são indicações pessoais desalinhadas dos objetivos dos portos e justificadas por argumentos absolutamente anacrônicos em relação à evolução do comércio global. Tampouco pode se esperar solução adequada e ágil de uma decisão unilateral a partir do Ministério da Infraestrutura na definição do urgente modelo de administração portuária, levando em conta as múltiplas funções dos portos. Não é necessário errar mais no estabelecimento das condições que devem operar os portos brasileiros, integrados com suas comunidades e áreas de influência. 

Porto Dad 13MAI2019
Leia mais
Porto de Santos: mudança para pior?

O ministro Tarcísio Gomes de Freitas tem competência técnica e articulação política reconhecidas para bem realizar um novo tempo de desenvolvimento do Brasil. De fomentar nossos portos como entrada de riquezas e da pujança econômica desejadas. A chave é a competitividade ao estimular a integração e desestimulando o monopólio. A comunidade do comércio marítimo aguarda impaciente o movimento de pedra da abertura. Afinal, todos pressupõem conhecida a tática para alcançar os patamares similares aos melhores portos asiáticos, como anunciou o presidente Bolsonaro em campanha.

Leia ainda
Os portos do Brasil carecem de visão    
Os portos das próximas duas décadas

Por que ainda não se delineou, ou não se anunciou, as estratégias para mudar, como e onde se quer chegar? A competição portuária moderna deve buscar a produtividade. Nisso avulta o papel da Autoridade Portuária em orientar a alocação efetiva de recursos, sem prejudicar a operação dos complexos existentes. Em um contexto que abrange os navios e suas escalas marítimas, bem como a área de influência do porto. Nesse cenário onde participam recursos compartilhados, a fuga de carga se traduz por deficiência sistêmica. Todos trabalhando juntos para fazer mais.

Leia também
Portos privatizados para melhorar produtividade

Nesses mais de cem dias de governo foi apresentado um discurso fragmentado que só tem contribuído para obscurecer o entendimento, desestimular iniciativas e causar inquietação no setor. Todavia, todos têm muito a dizer e suas atividades precisam ser harmonizadas, para aumentar a produtividade e estabelecer condições para novos negócios. Objetivamente, o porto deve ser um ponto de concentração de um grande volume de importações e exportações, praticando tarifas competitivas. 

Leia mais
* Privatização de Portos Públicos

Será inovador e producente o ministro Tarcísio de Freitas utilizar sua rede de Twitter para expor também, de forma detalhada, o que o Ministério da Infraestrutura planeja como reforma portuária. Por baixo custo, essa agenda poderá aumentar a produtividade do capital investido nas logísticas que cruzam os portos brasileiros.

Pin It
0
0
0
s2smodern
powered by social2s

*O Dia a Dia é o editorial do Portogente publicado de segunda a sábado e expressa fielmente a posição coletiva dos responsáveis pela redação do website