Caros leitores,

Em sequência o relato sobre as características da frota da Marinha Mercante Francesa na década de 30.

******************

Foto do Barham
Marina SSantos

O petroleiro Barham camuflado durante a 2ª Grande Guerra Mundial
Fonte: La Marine Marchande Française – 1939- 1940 – Marines Editions – França - 1996

Após 1932 o estado francês não cessa de dar sua ajuda para a recuperação da frota, mas o esforço não é suficiente em todas as áreas da marinha mercante e era inquietante constatar, na véspera do conflito, que a frota era muito lenta e velha, pois em 1938, 75 % dela tinha mais de 15 anos de uso, e a velocidade não passava de 10 nós, ou seja, pouco mais de 15 km/h.

 A frota, além de desatualizada, era cara para os contribuintes franceses, na época milhões de francos franceses, mas a razão desse problema não era somente as condições das embarcações:

  • A França não fazia o transporte de produtos pesados, pois suas exportações eram constituídas na sua maioria de produtos de luxo;
  • Os portos franceses se localizavam nas rotas dos principais serviços internacionais de navegação que permitia o uso de embarcações estrangeiras para completar seus carregamentos;
  • A economia francesa era extremamente protecionista, seus portos com tarifas elevadas e seus navios com tripulantes bem remunerados, condições que a colocavam fora da concorrência internacional;
  • Apenas 45 % do tráfego internacional utilizava bandeira francesa.

Essas condições fizeram da França uma presa fácil para a bem equipada frota alemã.

 

 

 

Referências:

La Marine Marchande Française – 1939- 1940 – Marines Editions – França – 1996- Marc Saibène, Jean-Yves Brouard e Guy Mercier.

Pin It
0
0
0
s2sdefault
powered by social2s

O que você achou? Comente