Os Grandes Lagos e o Rio São Lourenço sempre foram importantes eixos de transporte para a economia da América do Norte mesmo antes dos Estados Unidos e do Canadá terem se tornado nações independentes. Hoje, esse sistema de navegação integrado com rodovias e ferrovias movimenta minérios, produtos agrícolas e manufaturados das pradarias dos Grandes Lagos para o Oceano Atlântico na Costa Leste.

Praticamente todos os fluxos de mercadorias que se possa imaginar são transportados pelo sistema “Seaway”, a denominação em inglês. O comércio anual ultrapassa 180 milhões de toneladas e ainda há capacidade disponível para crescimento.

As principais mercadorias são:

• Minério de ferro para a indústria siderúrgica
• Carvão para geração de energia e produção de aço
• Calcário para as indústrias de construção e de aço
• Grãos agrícolas para consumo e para a exportação
• Carga geral, como produtos siderúrgicos e maquinaria pesada
• Cimento, sal e pedra agregados para a agricultura e indústria

A localização geográfica estratégica da Hidrovia do Rio São Lourenço e a navegação lacustre dos Grandes Lagos servem diretamente Ontário e Quebec ao norte, e Illinois, Michigan, Ohio, Indiana, Wisconsin, Minnesota, Nova York e Pensilvânia ao sul.

Os principais navios de transporte de carga que frequentam a hidrovia e os lagos se dividem em três grupos principais:

• Os residentes dos Grandes Lagos graneleiros ou "lakers";
• Navios oceânicos “seaway size” ou "salties",
• Comboios de barcaças com propulsão de rebocadores.

Os ”lakers” movimentam as cargas entre os portos dos Grandes Lagos, e de acordo com as leis de ambas as nações que prevê a reserva de mercado, são utilizados os navios das próprias companhias. Os “salties” utilizam bandeiras de outras nações, pois ligam os portos dos lagos com todas as partes do mundo.

Pode-se perceber o valor deste comércio e considerar o impacto de algumas cargas típicas:

• Os navios dos Grandes Lagos com 1000 pés de comprimento carregam o suficiente de minério de ferro para operar uma usina de aço gigante por mais de quatro dias.
• Um "super laker" carrega o suficiente carvão para abastecer a maior usina de Detroit por um dia.
• Um navio “seaway-size” transporta o trigo suficiente para fazer pão para todos os residentes de Nova York durante um mês.

Para cada tonelada de carga movimentada exige a participação de diversas atividades. Desde os próprios marinheiros, operadores de eclusas, trabalhadores portuários, ferroviários e motoristas, além da própria Guarda Costeira e Marinha, de ambos os países.

Aberto à navegação em 1959, o St. Lawrence- the Seaway já movimentou mais de 2,5 bilhões de toneladas de carga, com um valor estimado de mais de $ 375.000.000.000. Mais de 25 % da carga viaja para portos da Europa, América do Sul, Oriente Médio e África.

A Hidrovia dos Grandes Lagos e Rio São Lourenço, a “ Seaway”, é um sistema de transporte multi-modal integrado a mais de 40 rodovias estaduais e interestaduais e cerca de 30 linhas ferroviárias conectadas aos 15 principais portos do sistema e outros 50 portos regionais.

* Clique aqui para acessar a segunda parte deste artigo

Referências
http://www.greatlakes-seaway.com/en/seaway/facts/index.html

Fotos de Carlos Eduardo D’Almeida, Sílvio dos Santos e Victor Thives dos Santos

Pin It
0
0
0
s2smodern
powered by social2s