Um porto é um nó dinâmico nas redes internacionais de produção e distribuição. Compreender seus fatores que determinam sua peculiaridade é fundamental para se construir sua competitividade.

Parece sem retorno a decisão do ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, de privatizar as autoridades portuárias no Brasil. É uma mensagem inequívoca de pôr um fim à ingerência política nas decisões, à base de propinas, das administrações dos portos. O caso Libra, no Porto de Santos, foi emblemático dessa cultura. Consequentemente, levou ao insucesso um projeto com muita probabilidade de êxito. Porém, privatização não é panaceia.

600 Porto Dad 28MAI2019Descentralização vem antes de privatização. Imagem: Freepik.

Leia também
* Autoridades, com autoridade? (*)

Cumpre lembrar que as forças armadas não são privatizadas e políticos tampouco fazem dos investimentos nesse setor fontes de enriquecimento ilícito. A questão é curar a dor de cabeça preservando o pescoço, bem diferente de utilizar a guilhotina como cura-tudo. Tampouco a produtividade de uma administração portuária é competitiva pela injeção de dinheiro e gestão de investidores. Trata-se, essencialmente, da interação de muitos e múltiplos interesses no jogo do comércio mundial do Brasil.

Opinião Fabrizio Pierdomenico
Privatização de Portos Públicos

O aprimoramento urgente das administrações portuárias brasileiras deve se constituir em um processo, cujo primeiro e inexorável passo é a descentralização das suas decisões de Brasília. É a partir dos seus efeitos que deve nascer a razão da próxima ação. Não de um balizamento por um discurso do “privatiza geral”, sabe-se lá o porquê. Convém também adotar o modelo Landlord Port aprovado por mais de 90% dos portos relevantes do mundo. Este é o conselho da comunidade portuária nacional.

Opinião Frederico Bussinger
Governança portuária

As estatísticas históricas da Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq) demonstram que as movimentações dos portos brasileiros são crescentes. Entretanto, sempre haverá muito a ser feito para aumentar as suas produtividades, incorporando novas tecnologias e formas inovadoras de produzir. É o caso da tecnologia 4.0. Operar com escala e agilidade, praticando tarifas competitivas, são os resultados do Landlord Port mundo afora. No entanto, não é possível demonstrar que a privatização garanta tal sucesso.

Debate
WebSummit Nova Abertura dos Portos

Por suas realizações, o ministro Tarcísio vem se destacando na equipe de Bolsonaro. Sua competência atestada e o trânsito fácil nacionalmente delineiam um invejável horizonte político. Note-se, são credenciais manifestas para implantar o modelo de gestão descentralizada Landlord Port, visando promover decisões alinhadas com o negócio e a comunidade do porto. Com o propósito de firmar um marco histórico dos portos do Brasil.

Pin It
0
0
0
s2smodern
powered by social2s

*O Dia a Dia é o editorial do Portogente publicado de segunda a sábado e expressa fielmente a posição coletiva dos responsáveis pela redação do website