• Entre os portos que mais cresceram, destaque para o Porto do Itaqui, no Maranhão, totalizando 22.338.213 toneladas em 2018 e crescendo 16,87% no volume total em relação ao ano anterior

  • Com o objetivo de fomentar oportunidades e novos negócios no Brasil, Portogente lançou a plataforma digital "Áreas Portuárias e Logísticas". A ferramenta oferece ao mercado consultoria portuária e de marketing digital para a comercialização de áreas e terrenos com potencial de uso em regiões próximas a portos, aeroportos, rodovias e ferrovias.

  • Revisão propicia expansão de terminais de uso privado e oferece maior segurança jurídica aos investidores e às autoridades portuárias locais

  • A descentralização do processo decisório é uma reivindicação de décadas da comunidade portuária brasileira, na busca de estabelecer decisões mais ágeis e transparentes no setor

  • A Portaria 530/2019-Minfra busca acelerar a análise dos investimentos na infraestrutura portuária e a análise de renovações de arrendamentos, onde, de acordo com dados da SNPTA, poderemos estar destravando investimentos da ordem de R$ 5,3 bilhões até o ano de 2020. O que torna o País elegível, ao menos na infraestrutura portuária, a responder satisfatoriamente ao tão esperado upturn da economia

  • Aumentar a competitividade dos portos para ajudar o desenvolvimento do País implica em qualificar sua principal força motora, que é o trabalhador. A opinião é do presidente da Federação Nacional dos Conferentes e Consertadores de Carga e Descarga, Vigias Portuários (Fenccovib), Mário Teixeira, que admite conquistas, mas também o muito que se precisa fazer para valorizar a mão de obra diante dos novos processamentos de carga, de equipamentos e a modernização das embarcações.

    O sindicalista acha que a Lei dos Portos 12.815, implantada em 2013, avançou ao explicitar “a necessidade de qualificação dos trabalhadores e a obrigação das operadoras promoverem formação profissional”. Mas diz que, na prática, “os portuários querem revisão e modernização nos planos, nos currículos e na forma de aplicação dos cursos de qualificação”.

    Segundo o dirigente, as categorias reivindicam a criação de centros de treinamentos regionais que disponham de simuladores modernos para capacitar operadores de portêineres, MHC (guindaste móvel), transtêineres, pontes rolantes, empilhadeiras modernas etc. E acrescenta: “Queremos a melhoria do grau de escolaridade dos portuários, com aplicação de curso de língua estrangeira.”

    Fórum
    O dirigente considera o Fórum Nacional Permanente de Qualificação do Trabalhador Portuário um ponto de apoio para alavancar essas questões. “É nessa instância que a segurança nas operações portuárias, no que diz respeito à mão de obra dos trabalhadores – principalmente no âmbito do Órgão Gestor de Mão de Obra(Ogmo) – tem sido tratada.”

    Instituído pelo Decreto 8.033/2013, o fórum é composto por representantes de trabalhadores, operadores e vários

    ...
  • O acordo firmado com a Agência de Fomento do Estado de Santa Catarina S.A. (Badesc) permitirá ao porto a ampliação de sua zona primária, área utilizada para armazenamento, cargas e descarga dos contêineres, com desapropriações para anexar o Centro Alfandegário

  • O Porto de Santos (SP) lançou, recentemente, um programa de capacitação ao seu corpo técnico, em diversas áreas afetas à gestão portuária, em parceria com o portal de logística Portogente. Ao ampliar essa iniciativa aos colaboradores da Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp), em sintonia com os seus interesses, objetivos e estratégias, vai contemplar todo o seu setor portuário. Sem dúvida, um passo inovador e fundamental para a produtividade do capital.

    Portogente é hoje o maior e mais acessado portal de transportes e logística do Brasil, com alcance internacional, e conta com mais de 83 mil alunos inscritos. Seus cursos ministrados online, por meio de plataforma avançada permite ao aluno acesso aos conteúdos, tirar dúvidas, participar de bate-papos e de fóruns, receber orientação e ser avaliado em quaisquer hora e local. Detalhes que fazem a diferença nos dias de hoje.

    O comércio global e a globalização são determinantes de centenas de variáveis, entre as quais a maneira de fazer comércio. Encolher o tamanho do mundo, aumentando a velocidade ou a capacidade dos navios, é um modo de tornar mais ágil a cadeia de suprimentos. Em suma, reduzir ao mínimo o tempo em que o capital de giro fica atrelado a mercadorias em trânsito.

    Aumento dos navios e consequente demanda de maior velocidade dos portos e terminais resultam em pressão nos custos operacionais e dos investimentos. Ante esse cenário de mudanças, a primeira tarefa da administração é definir quais os resultados esperados do empreendimento a seus cuidados.

    A recem empossada diretoria do Porto de Santos ao profissionalizar a gestão da empresa, ao investir na motivação, satisfação e produtividade das pessoas, demonstra que, lembrando Peter Drucker, o meio de produção é o conhecimento. Ao tratar os custos de mão obra como investimento, a Codesp produz resultados para modificar a sociedade. Exemplo de administração a ser seguido.

  • Foram 386.165 TEUs (medida padrão que equivale a um contêiner de 20 pés), resultado apenas menor que o registrado em agosto de 2018 (387.791 TEUs)

  • Realisticamente falando, a iniciativa do presidente do Porto de Santos, Casemiro Tércio Carvalho, de abrir um escritório comercial na China, no segundo semestre deste ano, vai ampliar as oportunidades e fortalecer o posicionamento do Brasil no mercado global. Pois, como afirmou o vice-Presidente Hamilton Mourão: China não é ameaça, e sim parceiro estratégico.

  • A Porto do Açu Operações e o porto chinês de Guangzhou assinaram um Acordo de Cooperação com o objetivo de compartilhar as melhores práticas e conhecimentos sobre operações e gestão portuária, além de fortalecer a cooperação em investimentos e desenvolvimento de negócios

  • Com foco nos portos da região Norte e Nordeste do Brasil, e neste primeiro momento no estado do Maranhão, a iniciativa traz notícias, vídeos, artigos, materiais, entre outros conteúdos inéditos que promovem discussões e reflexões aprofundadas sobre o plano estratégico Arco Norte

  • A era digital e a Internet promoveram maiores velocidade e capacidade de processamento e de análise desses rastros. Assim, o Portolão, como combate a corrupção, é o primeiro passo eficaz da reforma portuária

  • O procurador do Ministério Público Federal Thiago Lacerda Nobre, Chefe da Procuradoria da República no Estado de São Paulo, inicia uma faxina que há muito se esperava fosse feita no Porto de Santos e deve se estender aos demais portos do Brasil

  • Nove meses já passados do governo de Jair Messias Bolsonaro e ainda não se vislumbra sequer um sinal de política pública eficiente aplicada nos portos brasileiros. Por isso, a angústia da pergunta: os portos brasileiros estão preparados para o novo paradigma digital?

  • O assim denominado Arco Norte, de acordo com estudo desenvolvido pela Câmara Federal, envolve os portos localizados na região de Porto Velho, em Rondônia, passando pelos estados do Amazonas, Amapá, Pará e Maranhão. Uma visão mais abrangente, todavia, também agrega a este grupo os portos localizados nos estados da região Nordeste

  • Surpreende que, passados 80 dias de governo Bolsonaro, o que se anuncia como planejamento para os portos brasileiros não expressa a mínima possibilidade de alcançar, nos próximos quatro anos, os patamares dos portos asiáticos

  • A quem servem as atuais diretorias dos portos do Brasil? Repetindo o passado, são indicações pessoais desalinhadas dos objetivos dos portos e justificadas por argumentos absolutamente anacrônicos em relação à evolução do comércio global.

  • Padilha, segundo os sindicalistas, escutou atentamente as ponderações feitas pelos representantes dos trabalhadores, e afirmou que, apesar da questão ser de responsabilidade do Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil, trabalhará para atender o pleito inicial da Federação de prorrogar por 90 dias a aplicação do aumento da contribuição dos assistidos e dos participantes

  • Portogente dá prosseguimento à publicação de entrevistas com presidentes de autoridades portuárias destacando visão e postura do atual mandatário do Porto de Santos, Casemiro Tércio Carvalho. Nas respostas enviadas à nossa redação ele destacou que o novo Plano de Desenvolvimento e Zoneamento (PDZ), em fase de elaboração, "tem como premissa condensar e adensar as áreas de movimentação de cargas" com o objetivo de formar clusters e aumentar a produtividade do porto santista