O município de Itajaí, em Santa Catarina, avançou em mais um passo para a ampliação e modernização do Porto local na manhã desta quinta-feira, dia 1º de novembro. O acordo firmado com a Agência de Fomento do Estado de Santa Catarina S.A. (Badesc) permitirá ao Porto a ampliação de sua zona primária, área utilizada para armazenamento, carga e descarga de contêineres, com desapropriações para anexar o Centro Alfandegário.

itajai porto badesc
Encontro de autoridades marcou assinatura do financiamento - Foto: Marcos Porto

A expansão será viabilizada com os recursos do Badesc de R$ 21.339.573,00 para regularizar a área do Centro Integrado de Saúde (CIS) pertencente ao Porto de Itajaí. Mesmo municipalizado, as áreas portuárias pertencem à União. Com o recurso, o município de Itajaí adquirirá o terreno para repassar esse valor à Autoridade Portuária. O contrato foi assinado entre o prefeito Volnei Morastoni e o diretor-presidente do Badesc Justiniano Pedroso.

"A partir de agora o terreno do CIS vem para o patrimônio do município. Já os recursos para o Porto, sabemos que irão para o que realmente necessita”, avalia o prefeito. “Estamos executando grandes realizações e acredito que a população irá reconhecer", observou Volnei.

No ato de assinatura, o superintendente do Porto Marcelo Werner Salles apresentou o plano estratégico de expansão portuária em Itajaí. Para desapropriar as áreas próximas aos berços de atracação, a autarquia montou um plano de venda de áreas não operacionais, como é o caso do terreno do CIS. O próximo passo é a venda do Centro Comercial Portuário (CCP), área conhecida como Vila da Regata, para a melhor exploração turística da área e financiar novas desapropriações.

Com os investimentos, a zona primária do Porto de Itajaí passará para 35 mil m². “A expansão nos iguala aos nossos concorrentes diretos e garantimos empregos e receita. O objetivo principal é manter o porto assegurado em nossa atividade”, avalia Marcelo Salles.

O presidente executivo do Badesc classificou o acordo como inédito e uma quebra de paradigmas burocráticos. Para Justiniano Pedroso , a empresa pública é “um órgão fomentador da economia catarinense e não poderia deixar de fazer parte dessa parceria entre o estado de Santa Catarina, Itajaí e a União”.

Os R$ 21.339.573,00 chegam na próxima semana para a Prefeitura de Itajaí, que repassará o montante para a administração do Porto. A quantia quita o valor do terreno no bairro São Vicente, onde foi construído o Centro Integrado de Saúde, pertencente à Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq).

Pin It
0
0
0
s2smodern
powered by social2s