Caros leitores,

Continuaremos a falar dos portos marítimos e hoje daremos mais algumas informações sobre o porto de Le Havre, que é o principal porto francês na movimentação de contêineres.

 

 

O porto de Le Havre, ou o porto do Havre, possui 120 berços de atracação com os seguintes usos:

 

17 berços para contêineres

2 berços para minérios

1 berço multi-graneis para farelo de soja e carvão

19 berços roll on – roll off

9 berços para derivados de petróleo

2 berços para petróleo cru

70 berços para mercadorias diversas

 

Essas instalações portuárias permitiram ao porto movimentar em 2003 um total de 71.493 mil toneladas.

O porto tem bons acessos, movimenta uma gama diversa de mercadorias, presta diversos serviços à navegação e dispõe de uma de uma grande área industrial agregada com as atividades portuárias.

 

ACESSOS

O porto do Havre possui excelentes acessos hidroviário, ferroviário e rodoviário, que o ligam rápida e eficazmente a todas as regiões da França e Europa. O acesso ao estuário do Rio Sena é monitorado e controlado por uma rede de radares, pois a região sofre com a constante cerração que cobre o Canal da Mancha.

 

 

Torre de radar que controla o acesso ao porto do Havre

 

Através do Rio Sena pode-se atingir toda a região parisiense, a Normandia assim como o norte da França, Bélgica e Holanda, através do Canal do Norte. Entretanto o Rio Sena é a grande ligação hidroviária do porto, pois o mesmo é navegável por comboios de até 5.000 toneladas, possibilitando o transporte de grandes quantidades a baixo custo.

 

Vagão hopper para o transporte de cereais da SHGT

 

As ligações ferroviárias do Havre com seu interland são asseguradas por uma rede de vias eletrificadas. A linha Paris–Le Havre, acessível a trens completos de 1.800 a 2.400 toneladas, permite atingir Paris em menos de 2 horas, e com a mesma eficiência todos os grandes eixos nacionais e internacionais e em particular a Suíça, a Alemanha e a Itália. A ferrovia serve a totalidade do cais e sua extensão dentro da zona portuária passa dos 400 km, ou seja, mais de 2 vezes a distância do Havre à Paris.

O porto também está ligado diretamente por auto-estradas à região de Paris e a toda rede de rodovias francesas e européias. De fato a Rodovia da Normandia pelo seu traçado moderno, deixa Le Havre a apenas 184 km de Paris. Além disso, duas linhas de ferry-boats permitem o acesso rodoviário e de passageiros à Grã-Bretanha.

  

 

Ferry-boat para passageiros, automóveis e caminhões 

 

DIFERENTES CATEGORIAS DE TRÁFEGO

 

Granéis líquidos

Petróleo: o porto recebe 40 % das importações francesas, podendo acolher navios de até 250.000 toneladas. Entretanto o terminal de Antifer, off-shore, pode receber os super-petroleiros de 750.000 toneladas. Devido a sua grande capacidade de estocagem o porto também recebe produtos refinados de petróleo, inclusive os gasosos.

 

Granéis sólidos

Carvão: Apesar da baixa verificada nos últimos anos devido a maior utilização da energia nuclear, a movimentação de carvão ainda é importante no porto. Seus cais podem receber navios pós-panamax e os equipamentos permitem o descarregamento direto para trens e embarcações fluviais.

 

Cereais: O porto tem uma movimentação importante de trigo para exportação, que chega ao porto através da hidrovia e da ferrovia. O embarque em navios graneleiros, tipo cape size com 120.000 toneladas, através de ship-loaders de grande produtividade, utiliza silos de grande capacidade, da ordem de 200.000 toneladas estáticas. Com relação aos grãos agrícolas o porto do Havre tem a função de completar os navios de maior porte que se abastecem no Porto de Rouen, a 120 km Rio Sena acima, os quais não podem sair de Rouen com plena carga devido ao grande calado que esses navios exigem.

 

Outros granéis: o porto movimenta também mineiros, fertilizantes, adubos e açúcar.

 

Terminal de Contêineres

 

Carga geral

Contêineres: Le Havre confirma novamente seu lugar de primeiro porto francês de movimentação de contêiner tendo atingido a cifra de 1.977 mil TEU em 2003, representando o 8º porto europeu. Seus terminais modernos, Atlântico, Europa, América, Ásia e Bougainville, dispõem de grandes áreas de estocagem, equipamentos ágeis e cais para navios de até 13,5 metros de calado.

 

Roll-on roll-off: A ligação ro-ro com a Inglaterra representa um importante tráfego para o porto, mesmo após a inauguração do Eurotúnel.

 

Terminal de passageiros do porto do Havre

 

Passageiros

Devido sua localização e proximidade com a Inglaterra, Le Havre possui diversas linhas de navegação para passageiros ligando-o aos principais portos ingleses do Canal da Mancha, Dover, Felixstone, Portsmouth assim com Dublin na Irlanda.

 

Estaleiros navais: o porto também é um importante centro de construção e reparo naval, podendo receber navio de até 300.000 toneladas em seus diques flutuantes e secos. Os Ateliers e Chantiers du Havre e Société Industrielle de Réparation e d’ Entretien de Navires estão sediados no Havre.

 

Centro internacional de trânsito e distribuição: o porto do Havre dispõe de áreas e armazéns livres de impostos para atenderem diversos países como um centro de distribuição de seus produtos para toda a Europa.

 

ZONA INDUSTRIAL

A zona industrial ligada ao porto com 8000 ha, servida por ferrovia, rodovia e hidrovia, possibilita que as empresas lá instaladas desfrutem de privilegiada posição estratégica de uma plataforma logística. Entre essas empresas destacam-se: Renault, Lafarge, Compagnie Françoise d’ Azote, Compagnie Françoise de Raffinage, Ateliers et Chantiers du Havre, Goodyear e Eletricité de France. 

 

 

Referências bibliográficas:

L’ Office National de la Navigation, La voie navigable: une voie d’avenir. Paris: Automedon, 1980. 56p.

 

Robin, C., Bergeaud, C. Le français par la méthode directe – Deuxième livre. Paris: Librairie Hachette, 1951. 186p.

 

Santos, S. dos. Porto de Le Havre. São Paulo: Marinha mercante em todo o mundo – O Estado de São Paulo, 11/08/1987.

 

Le port du Havre, Port Autonome du Havre. Le Havre:, 2003.57p.

 

Site:aapa-ports.org (american association of ports authorities), consultado em 25 de dezembro de 2005.
Pin It
0
0
0
s2sdefault
powered by social2s

O que você achou? Comente