A Fifa disse que as obras para a Copa estavam atrasadas, mas o governo brasileiro mandou que os dirigentes dessa organização se calassem, pois garantia que tudo estaria pronto a tempo. Eu e a Velhinha de Taubaté (quem lembra?) confiamos no governo, palavra é palavra.

Uma revista francesa publicou ampla matéria desancando o Brasil por conta de todos os problemas estruturais que esperam os turistas-esportistas. Pegaram a capa da publicação, aproveitaram que seu conteúdo estava indisponível na Internet, desenvolveram novo texto com críticas ainda maiores ao Brasil do que as originalmente publicadas, e colocaram nas redes sociais. Nem dei bola.

Um jornal inglês também alertou os cidadãos sobre a insegurança reinante no Brasil, os altos custos até da famosa caipirinha, e, mesmo vendo que é tudo verdade, ignorei, pois as autoridades garantiram que vai dar tudo certo.

Imagem: The Economist

"Os preparativos mostraram o improviso pelo qual o país é quase tão famoso quanto seus jogadores..."

Governos de vários países alertam seus cidadãos, para que olhem não apenas para os lados e para trás, quando andarem pelas ruas, mas também para cima, pois vasos sanitários de vez em quando chovem por aqui, e sinalizadores não servem apenas para avisar ao resgate que algum náufrago se encontra em pleno mar à espera do socorro. Mesmo vendo certas imagens na Internet, também devo acreditar, como bom brasileiro, que tudo será resolvido.

A população foi às ruas, protestou e continua protestando contra mais esse governo paralelo que se instalou no Brasil (com incríveis leis especiais de duração limitada e alcance específico!), além daquele comando exercido pelas organizações criminosas e do historicamente mantido pelas poderosas organizações da economia mundial. Ah, são exageros desses descrentes, não há motivo para tanta preocupação. Afinal uma Copa às vésperas de eleições, todos sabem, tem que ser impecável para garantir votos, e o Brasil nem pode sonhar em perder o campeonato, já está tudo esquematizado. Posso ficar tranquilo.

Alguns incrédulos até comentaram que os estádios (perdão: arenas) podem ficar prontos, mas não haveria como chegar até eles, por falta de infraestrutura de mobilidade urbana. Bobagem, nada que uns feriados extras não resolvam. Para-se o país para a Copa, mas ele ia ficar parado mesmo, então que é que tem?

O pessoal da Fifa é esperto, dinâmico. Mostraram que trabalho infantil é aprendizado, trabalho escravo é voluntariado, então está tudo ok. Aliás, o Brasil inteiro está falando inglês, que é o idioma oficial, mesmo em terras de colonização ibérica. Mesmo que nos aeroportos as faixas para orientação dos visitantes usem "Lane" como tradução de "Linha", como já vi escrito. Mero engano de uma letra, desculpável.

Não quero ser como tantos críticos, que usam a desculpa de alertar para descer a lenha em autoridades tão operosas e trabalhadoras. Por tudo isso, resolvi: vou reservar minhas observações para as próximas semanas. Então, a Copa já estará em curso e será só alegria, poderei contar a todos as maravilhas que nossos ilustres visitantes encontrarão. Com certeza, tudo estará impecável e teremos o melhor evento de todos os já organizados pela Fifa, em todo o mundo.

Disseram que eu devia confiar, e eu sei que milagres acontecem. Ainda mais com toda a dinheirama torrada na infraestrutura exigida pela Fifa. Eu confio. A Copa do Mundo no Brasil será um evento digno de ser lembrado por muitas gerações futuras.

E se inscreverá – via resultados das eleições de outubro – na própria história deste país. Presidente, governadores, deputados e senadores, todos serão avaliados e marcados pelo país em chuteiras. Aliás, pelo menos disso, eu tenho absoluta certeza.

Pin It
0
0
0
s2smodern
powered by social2s