Centro de Distribuição (CD) é um armazém cuja missão é realizar a gestão dos estoques de produtos na distribuição física e cujas atividades englobam manuseio, armazenagem e administração de produtos e informações e, em alguns casos, colocação de embalagem e rótulos, processamento de pedidos e emissão de nota fiscal.

A implantação de centros de distribuição na cadeia de abastecimento surge na necessidade de se obter uma distribuição mais eficiente, flexível e dinâmica, isto é, capacidade de resposta rápida face a procuras cada vez menores, mais frequentes e especificadas. Compartilha-se, assim, a redução de custos por entre as entidades cooperantes na distribuição do produto e evita-se pontos de estrangulamento, entre outras vantagens do trabalho em parceria (Farah, 2002, p. 44). Uma outra vantagem, deve-se ao facto deste mecanismo de ligação entre a fábrica e o cliente permitir o atendimento adequado a diversos pontos de venda menores, como quiosques, cafetarias ou restaurantes, com uma elevada taxa de entrada e saída de produtos, tendo estes, normalmente, um curto prazo de validade (alimentação) ou um pequeno período de comercialização (Farah, 2002, p. 45).

Elementos Importantes para escolha do CD

  • A quantidade de intermediários existentes e/ou necessários;
  • A diversificação dos canais de distribuição;
  • A dimensão da área a ser atendida e os requisitos mínimos necessários para efectuar um serviço com qualidade e eficiência;
  • As características do produto a ser entregue;
  • A estrutura operacional mínima necessária.

 

Possibilidades de melhoria

Uma resposta quase imediata para esta questão, seria a implementação de alta tecnologia no Entreprise Resources Planning (ERP), Suplly Chain Management (SCM) e Warehouse Management System (WMS). Obviamente que com estes recursos, será atingido um nível de melhora drástico nas operações, mas só este não é aspecto único que condiciona esta otimização, e sim o processo, que é o ponto mais crítico para a redução de custos de um centro de distribuição. Este, deve acompanhar a mudança temporal entre fornecedores, clientes e produtos, seja ela para mais (maior quantidade de fornecedores, produtos e clientes) ou para menos. O empreendimento do mesmo processo face à mudança da realidade só resultará numa maior probabilidade de ocorrência de erros que se reflectirão em baixa produtividade e atrasos nas entregas, dando assim origem a mais custos (Paiva, 2006). A localização também é de suma importância: quanto mais perto de rodovias e vias importantes, ou até mesmo localizados nela, o centro de distribuição permite maior eficiência do just in time e do serviço porta à porta, fato este imprescindível no sucesso empresarial logístico.

Por fim, um fator que pode fazer a diferença e tornar-se uma importante vantagem competitiva é relacionado às condições encontradas nas docas de recebimento. Para que um CD tenha extremo sucesso na entrada, saída e, não menos importante, na movimentação interna de seus produtos, as docas de recebimento devem trabalhar com baixos lead times, de forma que os caminhões que a elas chegam, carregados de produtos, trazem uma quantidade grande de mercadoria e, se a proporção produto X descarga unitária for alta, então a cadeia logística sofrerá um importante gargalo. Outro ponto é o de que as docas de saída devem ser extremamente numerosas, já que a tendência é de que os produtos saiam em menor quantidades, portanto, com caminhões com menores capacidades daqueles que trazem produtos ao centro de distribuição. 

Pin It
0
0
0
s2smodern
powered by social2s