O Arco Norte e sua importância para o escoamento de grãos

O Arco Norte é um assuntos que está em alta, mas, você sabe o que é, sua importância, o projeto Ferrogrão e o licenciamento ambiental, todos esses assuntos e muitos outros estão atrelados ao Arco Norte, como tudo no Brasil demanda de muitos investimentos, planejamentos e além de tudo à inúmeros desafios.

Continue e entenda o Arco Norte

 

Arco Norte: O que é



Mesmo que você não tenha nenhuma noção de logística ou de portos brasileiros, com noção apenas da geografia brasileira, não é muito difícil imaginar a ampla utilidade do transporte hidroviário e de cabotagem.

Basta verificar a abundância de rios que fluem por todo território, especialmente no Norte do Brasil e no extenso litoral. A movimentação da produção brasileira por muitos anos, se fez ao contrário do que muitos aconselhavam, usando como prioridade os portos de grãos do Sul e Sudeste.

Porém, com os recordes das safras, com as demandas chinesas, o resultado foi muitos gargalos nos portos de grãos no Sul/Sudeste que já estavam sobrecarregados. As consequências desses gargalos foram um maior custo de transporte, além das longas viagens.

Os portos que estão localizados acima do paralelo 16º S, consistem no que é chamado de Arco Norte, também engloba os terminais das regiões Norte e Nordeste. A contar de 2015, os portos do Arco Norte representam o segundo maior local de saída de grãos de soja e milho exportados do Brasil para o exterior.

Há diversos obstáculos e desafios que devem ser vencidos para impulsionar a área. Mas, de acordo com algumas perspectivas é que o Arco Norte escoe 50% da soja do Estado do Mato Grosso já em 2023.

Mesmo com os obstáculos, fica evidenciado que o escoamento de grãos através do Arco Norte não tem volta, e o aumento no volume do escoamento nos próximos anos é um fato.

Os desafios podem ser superados, vale lembrar que em 2016 um consultor do legislativo da Câmara dos Deputados escreveu sobre o Arco Norte, “declarando a região como a melhor rota logística para grãos no Brasil.”

 

O Arco Norte representam o segundo maior local de saída de grãos de soja e milho exportados do Brasil para o exterior.
O Arco Norte representam o segundo maior local de saída de grãos de soja e milho exportados do Brasil para o exterior.

Portopédia
*Portos do Arco Norte e do Nordeste

 

Arco Norte: Cadeia Produtiva



Para estudiosos, planejadores de transporte, operadores logísticos e do setor produtivo, é claro que a alternativa para o escoamento mais adequado, para a produção do Centro-Oeste e Norte, são os portos da região Norte, o Arco Norte.

Com a expansão econômica brasileira que aconteceu entre 2002 e 2012, aliada ao aumento da movimentação de cargas e pessoas dentro do território nacional, ocasionaram em um aumento na infraestrutura dos transportes, para conseguir atender o mercado interno e do comercio exterior.

Agora, pensando na questão do agronegócio, que foi o setor responsável por uma parte significativa do PIB brasileiro, também vale lembrar, que o seu crescimento foi superior a outros seguimentos nos últimos anos.

Considerando de 2000 a 2014, a produção de grãos, no Brasil, cresceu 101,6% e considerando a área plantada expandiu para 52,6%, o desempenho do setor tem sido destaque no mercado internacional de grãos.

Nas exportações brasileiras, podemos destacar as cadeias produtivas do açúcar, soja, minério de ferro, celulose e carne bovina. Com esses setor o Brasil se inclui como os principais produtores mundiais, devido às vantagens da produção agrícola.

De acordo com um estudo de 2016, a questão principal era a soja, que o escoamento da produção do Centro-Oeste, tinha como destino o Porto de Santos, logo, a produção percorria uma longa distância, principalmente por rodovias e uma pequena parcela por ferrovia e hidrovia.

Lembrando, nos picos de colheita, se formava extensas filas nos terminais e nos acessos ao porto, essa questão está atrelada à falta de disciplina na formação de composições ferroviárias com acesso a baixada santista.

Mesmo com o deslocamento geográfico da produção em direção ao Norte, não ocorreram mudanças nos corredores de exportação do agronegócio. Com o estudo Arco Norte um desafio logístico, ficou evidente a necessidade de prover ao Norte infraestrutura, para se apropriar da vantagens que os portos do Arco Norte podem promover, principalmente quando o assunto é tempo de viagem e os custos de exportação.

Nas exportações brasileiras, podemos destacar as cadeias produtivas do açúcar, soja, minério de ferro, celulose e carne bovina.
Nas exportações brasileiras, podemos destacar as cadeias produtivas do açúcar, soja, minério de ferro, celulose e carne bovina.

Dia a Dia
*Arco Norte: uma outra saída do Brasil



Arco Norte: Sistema Ferrogrão – Tapajós



É um projeto que foi anunciado no Programa de Parcerias de Investimentos é concessão da Ferrovia Lucas do Rio Verde/MT, denominada Ferrogrão. É um empreendimento green field, seu objetivo é melhorar o escoamento agrícola do Centro-Oeste, se trata de uma alternativa com maior eficiência em relação a custos logísticos.

De acordo com uma análise de mercado foi identificado oito produtos para o transporte ferroviário, esses produtos são soja, milho, farelo de soja, fertilizantes, açúcar, etanol e derivados.

Não podemos deixar que falar sobre o impacto ambiental, com o traçado da ferrovia se aproximando da faixa de domínio da rodovia BR-163, é priorizada áreas antropizadas consolidadas, em uma tentativa de diminuir o máximo possível os impactos ambientais.

No modelo da concessão, optou-se pelo modelo vertical de exploração para a ferrovia, sendo assim, uma só empresa é responsável pela infraestrutura e prestação de serviços de transporte, a concessão vale por 65 anos.

 

É um empreendimento green field.
É um empreendimento green field.



Opinião
*Logística de grãos rumo aos portos do Arco Norte


Arco Norte: Investimento



Um dos desafios da logística de commodities estar voltada para o Arco Norte, não está só na identificação dos empreendimentos que são necessários para a viabilidade do fluxo de produtos para os portos, localizados no Arco Norte.

Essa tarefa conseguiu ser cumprida pelo Plano Nacional de logística e Transportes, o maior esforço está na capacidade de empreender, o macroprocesso começa com a elaboração de um plano.

O plano deve ser elaborado de acordo com uma visão estratégica, considerando assim, a realidade econômica do país e o papel de cada ente federado, não podemos confundir com plano de governo.

O Plano Nacional de Logística de Transporte, seu objetivo era otimizar os custos da cadeia logística, não só considerados custos operacionais, melhorar o equilíbrio na matriz de transportes do país, aumentar a eficiência em áreas consolidadas, o projeto vem para incrementar a eficiência no abastecimento de insumos.

Desenvolvimento de áreas de expansão de fronteira agrícola e mineral, reduzir a desigualdade nas áreas deprimidas, aplicando um projeto para despertar o potencial da região.

 

O plano deve ser elaborado de acordo com uma visão estratégica.
O plano deve ser elaborado de acordo com uma visão estratégica.

Portopédia
*Os 10 principais portos do Brasil [com infográfico]


Arco Norte: Licenciamento Ambiental



O Arco Norte deve comtemplar inúmeras obras de infraestrutura e logística de transporte, sendo, que a diversidade e magnitude deve atender as exigências ambientais, é importante a apresentação de um Estudo de Impacto Ambiental.

O início, andamento, e conclusão das obras dependem de uma licença ambiental que é concedida pelos órgãos responsáveis, as condições estão relacionadas a problemas estruturais, vácuo jurídico, e a ineficácia desses órgãos.

O termo de referência é o que inicia o processo de licenciamento ambiental, deve conter a documentação e as informações que servem de instrução para o processo de licenciamento.

Seria necessário ter um termo de referência para cada tipologia de empreendimento, com a falta de um termo de referência padrão disciplinado pelo Conama, a autoridade licenciadora fica responsável por defini-lo integralmente.

Outra falha que pode ser apontada sobre o processo de licenciamento ambiental, está relacionada a falta de compreensão do que o licenciamento é, que é um instrumento de gestão de riscos ambientais.

Lembrando que neste artigo, abordamos o que é o Arco Norte que é uma região que pode ser muito utilizada para o escoamento da produção de grão, que tem como benefício a diminuição dos custos logísticos, o sistema Ferrogrão não poderia ficar de fora.

O Plano Nacional de logística e Transporte, por último a importância do licenciamento ambiental os pontos importantes e os desafios.

Gostou do tema ? não deixe de conferir o último webinar do Portogente que abordou o tema As oportunidades do Arco Norte. Você também pode conferir nossa Escola Virtual Portogente que possui inúmeros cursos nas áreas de logística, gestão portuária, comunicação, comercio e turismo, todos os cursos são gratuitos.

Continue Navegando e Descubra: Gestão Ambiental Portuária: o que você precisa saber.

Fonte: Arco Norte

Pin It
0
0
0
s2sdefault
powered by social2s

O que você achou? Comente