O que é Comércio Exterior – introdução, conceito e mercado de trabalho



1. O que é Comércio Exterior?

                Mesmo que você não trabalhe na área, é muito interessante que você conheça o que é Comércio Exterior, pois ele incentiva o desenvolvimento do país por inúmeros motivos comentados neste artigo. Tal necessidade se dá pelo ciclo virtuoso que ele gera pois, pela troca de produtos e tecnologias, há a geração de  novos empregos, conhecimento e, com isso, um país mais rico (em todos os sentidos).

                Com a globalização, o mundo se encontra mais conectado e, justamente por isso, as pessoas e as mercadorias circulam com maior facilidade e agilidade entre as fronteiras de países e de continentes. É disso que se trata o Comércio Exterior que, como o próprio nome já diz, se refere à troca de produtos e serviços entre países, seja na compra (importação) e/ou na venda (exportação), englobando todos os procedimentos necessários para sua realização.

                Aplicando o conceito em um exemplo prático: suponhamos que determinada empresa brasileira realize uma importação de camisetas fabricadas na China. Todas as atividades que envolvam o processo da chegada das camisetas até aqui, incluindo: logística, trâmites de pagamento e de conversão das moedas, a regularização de toda a documentação necessária e a garantia do cumprimento das leis são oficios do Comércio Exterior.

                O Comércio Exterior também é muito importante para o PIB (Produto Interno Bruto) que sua variação influencia diretamente na Balança Comercial do país em questão. Mas o que esses termos significam?

                O PIB é a soma de todos os bens e serviços finais de um país, em valores monetários, num determinado período. Seu maior objetivo é avaliar a atividade econômica de determinada região e seu nível de riqueza, lembrando que são considerados apenas os bens e produtos finalizados, serviços, investimentos e gastos do governo, descartando assim os bens intermediários, serviços não remunerados, bens já existentes e atividades informais/ilegais. No Brasil, o PIB é calculado pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Já a  Balança Comercial representa as transações comerciais com o exterior. Ela é calculada de acordo com a diferença entre as exportações e importações. Quando as exportações são maiores que as importações, dizemos que a Balança está positiva, gerando um superávit. Tal condição é excelente para o país, uma vez que significa que o produto nacional está sendo bem vendido lá fora. Entretanto, se as importações forem maiores que as exportações, a Balança se torna negativa e gera um déficit na Economia, pois significa que o país está comprando mais do que está vendendo.

 

O cumprimento de prazos e de legislações acordados nas negociações são essenciais para a realização do Comércio Exterior.
O cumprimento de prazos e de legislações acordados nas negociações são essenciais para a realização do Comércio Exterior.

 

 

2. Análise de Mercado e Questões Culturais

                Dentro do Comércio Exterior também há a análise de tendências, tanto no mercado externo quanto no interno, sempre buscando identificar as maiores necessidades do cliente de determinada região, a fim de encontrar novas oportunidades de venda e compra e as melhores estratégias aplicáveis. Por isso, é importante que o profissional de Comércio Exterior tenha conhecimentos de Marketing e, principalmente, da cultura do país que está se fazendo negócios, para garantir que o processo seja feito respeitando os costumes do país em questão.

               Um exemplo disso são os países muçulmanos que têm por tradição religiosa um tratamento diferente para o abate de bovinos para consumo, que se inicia desde a forma que os mesmos são criados. Nesse caso, os bovinos que serão exportados para esses países devem receber um tratamento diferente desde sua criação, caso isso não seja feito, o país não fará mais negócios com o Brasil, por exemplo, fazendo com que o lucro interno possa ser ameaçado. Tal tema já causou polêmica no porto de Santos, como você pode acompanhar aqui e aqui. Convido você a comentar sua posição sobre o assunto.

 

Todas as diferenças culturais devem ser respeitadas e estudadas para que o produto esteja adequado à determinada região.
Todas as diferenças culturais devem ser respeitadas e estudadas para que o produto esteja adequado à determinada região.

 

 

3. A história do Comércio Exterior

                Há indícios de que o Comércio Exterior exista desde milênios atrás. No oitavo milênio a.C., os chineses já faziam rotas visando países asiáticos para o comércio de seda. Os egípcios e outros povos da antiguidade também comercializavam seus produtos agrícolas através do Rio Nilo mas, somente nos séculos mais recentes, o Comércio Exterior começou a adquirir uma forma mais parecida com a atual. Tudo isso graças ao desenvolvimento industrial, de transportes, das formas de comunicação, mostrando que o avanço tecnológico e criação da Internet foram cruciais para tornar mais ágil o processo da comercialização entre fronteiras.

                Como resultado dos avanços tecnológicos, pode ser citado como exemplo o SISCOMEX - Sistema Integrado do Comércio Exterior que é um dos principais instrumentos atuais da área. Por meio dele é possível registrar, acompanhar e controlar operações dentro do Comércio Exterior de maneira mais simplificada, além de ter acesso à legislação e atuação governamental. Há ainda o SISCOSERV, que é um sistema criado para registrar transações internacionais de domiciliados no Brasil com domiciliados no exterior (exceto de mercadorias, que é onde entra o SISCOMEX), entre outros sistemas.

 

4. O Comércio Exterior e o Mercado de Trabalho

                A área de Comércio Exterior é promissora, e o profissional sempre deve se manter atualizado com os acontecimentos internacionais, pois qualquer eventualidade em nações estrangeiras pode resultar em mudanças nos procedimentos de comércio ou na economia do país, visto que no Comércio Exterior tudo está interligado. É interessante e de muita importância também que o profissional tenha o domínio de outros idiomas para que cresça na profissão.

                Em suas atividades fundamentais, o profissional de Comércio Exterior pode atuar na área logística, em instituições financeiras de câmbio, companhias privadas diversas ou governamentais, com marketing internacional ou com despacho aduaneiro, onde serão regularizadas as documentações referentes a produtos exportados ou importados. Os cargos principais vão desde assistentes de Comércio Exterior, (com piso salarial médio de R$1.800,00) até analistas (recebendo até R$ 7.407,00 em empresas de grande porte) e diretores (chegando a receber até R$ 23.707,31).

                Como formações primordiais para ingressar na área, podem ser citadas o Bacharelado em Comércio Exterior e o Tecnólogo em Comércio Exterior. O Bacharelado, com duração de até 4 anos, é composto de disciplinas como Economia, Legislação Aduaneira, Administração, Práticas Cambiais, e afins. O Tecnólogo em Comércio Exterior, com duração de 2 a 3 anos, também oferece essas disciplinas, porém a maior diferença entre ambos cursos, além do período de duração, é a aplicabilidade do conteúdo, visto que o Bacharelado oferece uma visão mais ampla e mais gerencial, enquanto o Tecnólogo é mais voltado para a operacionalização do trabalho e das exigências do mercado.

Pin It
0
0
0
s2smodern
powered by social2s