Há 77 anos, no histórico dia 1º de junho de 1936, o majestoso navio de passageiros Queen Mary, de bandeira britânica, aportava na cidade de Nova York, nos Estados Unidos.

A viagem de Southampton, na Inglaterra, até a grande metrópole norte-americana levou 5 dias, 5 horas e 13 minutos. O Queen Mary atracou no Píer 90.


O majestoso Queen Mary (o primeiro )deixando a cidade de Nova
York,  em 1951. Neste mês de junho faz 77 anos que o navio
fez sua viagem inaugural. Col. do autor

O majestoso navio foi recebido com muita festa, com direito a jatos d’água e escolta de várias embarcações. Sirenes e apitos não faltaram para saudar a triunfal entrada do Queen Mary.

Trata-se do único transatlântico de três chaminés que conseguiu sobreviver. A glória e o esplendor do navio ainda podem ser admirados, pois, após desativado da linha regular de passageiros, em 1967, foi instalado no porto da cidade de Long Beach, Califórnia, onde funciona como hotel flutuante e centro de convenções.


Atualmente o navio está permanentemente atracado na cidade
de Long Beach - Califórnia, onde é hotel e centro de convenções.
Está intacto e vale a pena ser visitado. Col. do autor.

Em 1995, tive a honra – um privilégio inesquecível! – de visitá-lo.  Foi um passeio memorável pelo interior e pelo convés principal, onde eu e minha esposa passamos uma tarde inteira. Ficamos encantados com o que vimos, como a galeria de lojas e o salão de jantar. Tudo inesquecível!

Confesso que senti uma estranha sensação, como se estivesse retornando àqueles anos dourados do Royal Pair (Par Real), ou seja, quando o Queen Mary e o Queen Elizabeth navegavam juntos... O Royal Pair foi famoso na época dos navios de passageiros e eram os preferidos dos ricos e famosos por serem símbolos de elegância e bom gosto.


Cartão-postal comemorativo da época do lançamento do navio ao
mar, em 1934. No mesmo aparece a foto da Rainha Mary, do Reino
Unido, que deu o nome ao célebre navio de passageiros. Col. do autor

Os nostálgicos têm a oportunidade de sentir esse glamour do passado, através do Queen Mary 2, do Queen Victoria e do novo Queen Elizabeth (não confundir com o Queen Elizabeth 2).

Os novos transatlânticos mantêm o estilo antigo, cascos pretos e superestruturas brancas. Isso sem deixar de citar que o som dos apitos é semelhante ao dos antigos.


Os famosos artistas Dean Martin e Jerry Lewis, durante
show improvisado a bordo do único navio de três
chaminés que conseguiu sobreviver. Foto Cunard Line

O Queen Mary foi construído pelo estaleiro John Brown & Company Ltd., de Clydebank, Escócia. Media 330 metros de comprimento e deslocava 81.235 toneladas. A sua capacidade era para 2.139 passageiros, divididos em três classes. O seu maior rival foi o transatlântico francês Normandie.

A majestade e a imponência do Queen Mary, porém, eram a expressão de um glamour que apenas a realeza confere.


Pôster publicitário incentivando os viajantes do Atlântico Norte
a irem para os EUA pelo Queen Mary. 1936. Cunard Line

Com este texto, presto a minha homenagem de súdito do último transatlântico de três chaminés ainda existente...

Pin It
0
0
0
s2smodern
powered by social2s