Porto do Oceano Índico e capital da Tanzânia até 1973, Dar-Es-Salaam é uma das cidades visitadas poeticamente pelo escritor peruano Óscar Limache em seu livro “Viaje a la lengua del puercoespín” (Viagem à língua do porco-espinho), de 1989, ainda inédito em português e do qual Porto Literário já publicou a tradução do poema “Nueva York”.

Como sugerem os dois portos acima citados, o livro forma uma série de relatos poéticos sobre cidades reais, históricas ou míticas, em um clima que dialoga com “As cidades invisíveis”, do italiano Ítalo Calvino, que dá nome à primeira parte do livro. A segunda parte desbrava Lima, capital do Peru, cidade natal de Limache. A língua do porco-espinho é a soma poética destas viagens. Então, Dar-Es-Salaam – Casa da Paz, em árabe – por meio de um poeta que lá nunca esteve:

Dar-Es-Salaam

 

A cidade
era um porto de paz
e o ar
cheirava a peixes e equadores

Nos contaram
os motivos da roupa
os ambientes da casa

Sem temor
aos deuses que viviam em seu rosto
meu irmão e eu trepamos
nas barbas do Kilimanjaro

(Ficamos na subida)

O velho não deixou que se pegasse a neve

Essa tradução, entre outras, será apresentada nesta quinta-feira (16/8), às 20 horas, no Sesc Santos, durante o encontro “Poesia da América Latina – Aproximações / Acercamientos”, com o lançamento de livros artesanais traduzidos pelo poeta Ademir Demarchi e por este colunista, inclusive “À espera do outono” e “Viagens imaginárias”, traduzidos em primeira mão pelo Porto Literário.

Referência
Óscar Limache. Viaje a la lengua del puercoespín. Tlalnepantla, México: Linajes Editores, 2008 (1ª ed 1989).

Pin It
0
0
0
s2smodern
powered by social2s