Acessibilidade do Aeroporto de Goiânia é elogiada

O Aeroporto de Goiânia recebeu, entre os dias 12 e 15 de abril, 700 atletas paralímpicos de 15 est...

Leia Mais

TAP recebe seu primeiro avião Airbus 320Neo

A TAP recebeu seu primeiro A320neo, um marco importante no plano de investimentos definido com a p...

Leia Mais

Blog do Bruno Merlin

Antaq licita quatro terminais de granéis líquidos à iniciativa privada

Os certames licitatórios de terminais instalados em portos brasileiros ganham força e atraem cada ...

Leia Mais

Portos do Brasil

Governo capixaba autoriza obra de terminal marítimo em Aracruz

O Governo do Espírito Santo assinou nesta quinta-feira (19) a licença de instalação do novo projet...

Leia Mais

Caros leitores,
Neste artigo, vamos prosseguir com a série sobre a navegação fluvial na Inglaterra, abordando o declínio da atividades.

***********************************************

Leia também
* Navegação fluvial na Inglaterra
* Os canais de navegação fluvial na Inglaterra
* As embarcações dos canais de navegação fluvial na Inglaterra
* As eclusas dos canais de navegação fluvial na Inglaterra

No século XIX, outros canais importantes foram construídos como o Caledonian Canal e o Manchester Ship Canal, mas a competição com as estradas de ferro na segunda metade do século XIX reduziu o mercado dos canais ingleses, assim como as melhorias nas rodovias e a tecnologia do automóvel no início do século XX, o que significava que o caminhão seria a grande ameaça do transporte fluvial, já debilitado pelo trem.

Os pedágios para utilização dos canais e eclusas foram reduzidos para competir com a ferrovia e rodovia, mas era uma pequena ação para as grandes reduções necessárias. As companhias proprietárias do Regent’s Canal e do Grand Junction Canal concordaram que fusão e modernização seriam o único caminho para permanecerem competitivas. Além disso, muitos canais foram adquiridos pelas companhias ferroviárias com o objetivo de eliminar a concorrência com a emergente estrada de ferro. Dessa maneira, sendo menos competitivo que os trens, os canais estreitos, com embarcações de apenas 30 toneladas, faliram rapidamente.

Fotos: Victor Thives dos Santos

Antigas embarcações de navegação fluvial, agora utilizadas como
moradia, atracadas nas margens do Rio Tamisa  – Londres, 2012

O século 20 trouxe a competição com o transporte rodoviário, e somente as empresas dos canais mais fortes sobreviveram até a 2ª Grande Guerra Mundial. Após a Guerra o declínio do transporte remanescente na navegação fluvial foi rápido, e pelos meados dos anos 60 o único testemunho do transporte fluvial era o que restava nas hidrovias largas e industriais. Atualmente, o transporte fluvial na Inglaterra é pequeno, apenas 0,1 % em 2010, bem menor que na Europa continental, cuja média é 6,5 %.

Referências
http://www.britishwaterways.co.uk/

http://canalrivertrust.org.uk/canals-and-rivers

http://epp.eurostat.ec.europa.eu

Pin It
0
0
0
s2smodern
powered by social2s

noticias corporativas

Vídeo em destaque