Caros leitores,

Neste artigo, na sequência sobre o tema das embarcações coloniais, falaremos da frota inglesa que fez a escolta à família real portuguesa entre Lisboa e o Rio de Janeiro em 1807 - 1808.

Segundo o livro “Naus no Brasil Colônia”, a invasão francesa obrigou a família real portuguesa a se deslocar para sua principal colônia o Brasil, numa situação muito difícil, pois Portugal estava sob bloqueio inglês e sob a pressão de uma esquadra russa ancorada no Rio Tejo, praticamente dentro de Lisboa.

A fuga foi decidida em acordo do príncipe regente Dom João VI e a família real com a Inglaterra, a principal aliada de Portugal contra a França. A família real acompanhada de alguns milhares de nobres e altos funcionários embarcou em navios portugueses e rompeu o bloqueio russo, em 29 de novembro de 1807.

Na barra do Rio Tejo, no Oceano Atlântico, eram esperados pela esquadra inglesa sob o comando de Sidney Smith, da qual uma parte foi designada para escoltar a frota portuguesa. Smith retornou a costa portuguesa com as embarcações Hibernia e Conqueror, passando o comando da esquadra inglesa ao capitão Moore, que acompanhou os portugueses até o Brasil, fazendo também escala na Ilha da Madeira.

 

Frota Inglesa no início do século XIX

A frota inglesa era composta pelas seguintes embarcações: London, Marlborough, Monarch e Bedford.

Referências:

Naus no Brasil Colônia, P. de Godoy, J.E. Senado Federal, Brasília, 2007

http://naofoinogrito.blogspot.com.br/2012/06/nao-foi-no-grito-040.html

Pin It
0
0
0
s2sdefault
powered by social2s

O que você achou? Comente