Caros leitores,
Neste artigo, na sequência da série sobre a navegação lacustre nos Grandes Lagos, abordamos o Canal Erie e a ligação com Nova York, nos Estados Unidos.

**********************************************************************

A saída natural para a navegação lacustre dos Grandes Lagos é o Rio São Lourenço que deságua no Atlântico Norte depois de banhar Montreal e Quebec. Entretanto, o forte desnível de 99 metros entre os lagos de Erie e Ontário, através das Quedas de Niágara interrompia a navegação entre esses lagos.

Desde a segunda metade do século XVIII, 1765, já havia a planos e projetos para a construção de canais artificiais ligando rios e lagos às áreas produtivas e cidades do próspero nordeste americano. Esse período que se estende até 1830 foi denominado de Febre dos Canais, quando os estados da região investiram pesadamente na construção de canais, barragens e eclusas com a finalidade de promover a navegação fluvial.

A ideia de construir um canal artificial entre os Grandes Lagos e a emergente cidade de “New York”, o novo centro econômico da nação, através do navegável Rio Hudson, estava também nesses planos.

A obra teve início em 1817 e foi concluída em 1825, com a extensão de 585 quilômetros, era composta por 83 eclusas para vencer o desnível total de 175 metros, que permitiam a transposição de embarcações de 30 toneladas. A profundidade de 1,8 m possibilitou posteriormente a utilização de embarcações de até 240 toneladas.

O Canal Erie substituiu antigas rotas terrestres e cortou os fretes de em até 90 % e reduziu o tempo de entrega das mercadorias de incertas semanas para programação diária e possibilitou o transporte econômico de produtos manufaturados, grãos, sal e madeira.

Desenho artístico da eclusa Lockporto no Estado de New York em 1839

Fotos: Sílvio dos Santos e Victor Thives dos Santos

Início do Canal Erie, em Tonawandas, Buffalo, no Lago Erie.
Ao fundo, ponte ferroviária basculante – junho de 2013

Canal Erie em Tonawandas, Buffalo. Ponte rodoviária com sinalização para a navegação fluvial – 2013

Hoje, o Canal Erie perdeu a importância econômica devido ao seu pequeno gabarito, a baixa velocidade de navegação e o grande tempo para transpor as 83 eclusas. As ferrovias e rodovias podem transportar altas tonelagens em questão de horas. Por outro lado as atividades de esporte, lazer e turismo utilizam harmonicamente suas águas, ao longo das quais estão instalados inúmeras marinas, clubes e portos de recreio.

Referências
http://en.wikipedia.org/wiki/File:Erie-canal_1840_map.jpg
http://en.wikipedia.org/wiki/Erie_Canal

 

Pin It
0
0
0
s2sdefault
powered by social2s

O que você achou? Comente