Todo tipo de atividade portuária não tem objetivo próprio; sempre tem uma outra necessidade ou desejo por trás.

Por tantas razões, o necessário debate do processo de desestatização do Porto de Santos deve abranger a relação Porto/Cidade. Estrategicamente, superar conflitos e otimizar a conquista de oportunidades, para conseguir alçar esse porto ao patamar dos grandes mundiais. É o caso de eliminar as barreiras nos acessos marítimo e terrestre, bem como, as cidades conurbadas com o porto serem preservadas para as pessoas. Um planejamento com metas auspiciosas e excelência.

Dad 28JUL2022

Leia também
* Distrito industrial e portuário da Alemoa carece de práticas ESG

A desestatização do Porto de Santos é incerta e há mobilização política local contrária à sua privatização. Dependendo do resultado das eleições, a interlocução desse projeto poderá ser totalmente alterada. Entretanto, passados 134 anos da sua concepção, precisa ser inovado, para ser compatível com o novo comércio pelos mares, mais ágil e em maior escala. Sem sombra de dúvida. Um processo movido por competência, tecnologia avançada e capital intensivo.

Leia também
* Porto-indústria de Santos atrasado 25 anos

O debate “a solução está na privatização ou na estatização?” não pode ser uma discussão sobre o sexo dos anjos. A questão é estabelecer objetivos claros como explicação de caminhos que devem ser tomados para aumentar a competitividade do porto. Ou seja, qual o Porto de Santos que se quer? De pronto, um porto ágil, com movimentação em escala, com a mesma função dos portos fenícios, agora pensada fora da caixa, para um mundo de comércio multilateral e conectado.

Artigo - Frederico Bussinger
* A virtude está na propriedade ou na autonomia portuária?

Dessa forma, alavancar interesses de poder, com políticas de governo, é uma dinâmica com energia das possibilidades, com características próprias. Todavia, o mais importante é saber a meta a ser alcançada no processo de solução: o Porto de Santos operar os maiores navios do mundo, de contêineres e de granel, ampliando a sua hinterlândia através de obras estruturais. Pauta que inclui a verticalização na logística. De fato, a Companhia Docas de Santos que construiu e garantiu 90 anos de sucesso ao Porto de Santos foi fruto do empreendedorismo. Hoje a Autoridade Portuária é política.

Leia também
* Construir o Porto de Praia Grande para o futuro do Porto de Santos

Qualquer que seja o resultado das eleições 2022, o programa da reforma do Porto de Santos terá uma nova condução. Decerto, seu papel é fator fundamental da economia nacional. A relação Porto/Cidade vai se fazer influente. Os diferenciais irão surgir de inovações e percepções profundas sobre como são os processos e como eles podem ser melhorados. Com certeza, será uma obra grandiosa.

Artigo - Carlos Eduardo Bueno Magano
* O empreendedorismo no Porto de Santos

Pin It
0
0
0
s2sdefault
powered by social2s

*O Dia a Dia é a opinião do Portogente

O que você achou? Comente