As comunidades portuárias mundiais estão se organizando em novos sistemas de cooperação técnica para compartilhar novas tecnologias e buscar soluções inovadoras. Assim, as decisões devem ser tomadas objetivando melhores resultados coletivos. Portanto, para impulsionar os negócios do porto, a sua profundidade à navegação não deve ser um fator limitante.

Cada vez que se analisa a iniciativa do presidente da Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp), Casemiro Tércio Carvalho, de lançar um edital para recebimento de doações de estudos portuários para modelagem da concessão do canal de acesso ao Porto de Santos à iniciativa privada, fica mais difícil ao se considerar que o custo estimado de US$ 1 milhão desse projeto pode e deveria ser custeado pela Taxa de Utilização do Porto (TUP).

600 Dad 04OUT2019

Há muito, Portogente debate e propõe modelo para privatizar a dragagem do Porto de Santos. A manutenção das profundidades para segurança da navegação e produtividade de um estuário é um serviço sob medida, que considera conceitos e históricos do regime estuarino, principalmente o processo do seu assoreamento. No entanto, o interesse político sobre os valores arrecadados pela TUP sobrepusera-se, até recentemente, aos fundamentos técnico e operacional do porto, com prejuízo da sua competitividade.

Editor | Portogente
Estudos portuários e a dragagem produtiva

Redação 
Dezoito milhões de reais: completa análise sobre o pagamento da Codesp à Dragabrás

Blog | Bruno Merlin 
Presidente e diretor da Codesp são presos pela PF; assista ao vídeo que deu início às investigações

Opinião | Luiz Alberto Costa Franco 
Dragagem condominial e a solução das profundidades no Porto de Santos

Decerto que a delonga para restabelecer a dragagem do mais importante porto do Hemisfério Sul pode resultar em restrições de calado, logo, logo. Isto significa baixa produtividade e custo econômico para o Brasil. E tal possibilidade vai causar forte impacto à comunidade portuária local, que há anos vem lutando para implantar profundidade de 17 metros no Porto de Santos. Oportuno salientar: aproxima-se o período de escoamento da próxima safra.

Redação
Aprofundar o Porto de Santos, mas com responsabilidade

Talvez esses desacertos ocorram por falta de liberdade de decisão, da parte do presidente da Codesp. É o que transparece o secretário Nacional de Portos e Transportes Aquaviários, Diogo Piloni, ocupar também a presidência do Conselho de Administração (Consad) da Autoridade Portuária de Santos.

Pin It
0
0
0
s2smodern
powered by social2s

*O Dia a Dia é o editorial do Portogente publicado de segunda a sábado e expressa fielmente a posição coletiva dos responsáveis pela redação do website