O Terminal de Importação e Exportação de Granéis Sólidos do Porto de Imbituba (SC) foi, na segunda-feira (11), cenário de um simulado de emergência do Plano de Ajuda Mútua (PAM), realizado em parceria pela SCPar Porto de Imbituba (Autoridade Portuária) e a empresa CRB Votorantim, arrendatária do terminal, com apoio do Corpo de Bombeiros de Santa Catarina. O treinamento atende a Norma Regulamentadora 29 (NR-29) do Ministério do Trabalho e visa manter as Brigadas de Emergência das empresas integrantes do PAM capacitadas para dar respostas adequadas e eficientes aos cenários acidentais.

Leia também

Ministro Quintella acompanha Temer em NY e Paranaguá celebra certificação ambiental

"Sabendo que a preparação é a chave para o adequado atendimento a uma emergência, esses procedimentos que simulam uma situação real servem para avaliar a eficiência dos planos de emergência do porto, bem como treinar as equipes e promover a integração entre as empresas e órgãos envolvidos no evento", destaca a Coordenadora da Brigada de Emergência da SCPar Porto de Imbituba, Juliana Moraes. Segundo Juliana, novos exercícios simulados ainda serão realizados, com diferentes cenários e outras empresas, "sempre com o objetivo de manter as brigadas que atuam no Porto de Imbituba treinadas e aptas a atender situações de emergência", conclui.

A NR-29 regulamenta a segurança e saúde no trabalho portuário. Este é o segundo exercício prático diretamente relacionado à NR-29 que foi realizado pela SCPar Porto este ano. Em abril, uma situação de incêndio, atendimento a vítimas e evacuação dos prédios da administração portuária foi o cenário experimentado.

O Plano de Ajuda Mútua tem por objetivo preparar as empresas que atuam diretamente no porto (operadores, arrendatários e Órgão Gestor Mão de Obra) para trabalharem de forma conjunta no atendimento a emergências nas instalações portuárias.

A Brigada de Emergência da SCPar Porto de Imbituba foi habilitada em 2016 e é composta por 19 colaboradores de diversos setores da empresa.

Pin It
0
0
0
s2sdefault
powered by social2s

O que você achou? Comente