Conquistando cada vez mais espaço e sem histórico de envolvimento em polêmicas do governo de Jair Bolsonaro, o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, foi o entrevistado do programa Conversa com Bial, da Rede Globo, na madrugada desta segunda (21) para terça-feira (22). No bate-papo com o experiente apresentador, o ministro disse que sua meta mais ambiciosa é entregar ao Brasil a Ferrogrão, corredor ferroviário que ligaria as regiões produtoras de grãos do Centro Oeste aos portos do Arco Norte. Os estudos referentes ao projeto, classificado como Ferrovia EF-170 – MT/PA junto ao Programa de Parcerias de Investimentos (PPI), estão sendo elaborados pela Empresa de Planejamento e Logística (EPL).

tarcisio conversabial
Ministro Tarcísio foi o único convidado do programa - Divulgação: Rede Globo

Acesse
* WebSummit Arco Norte, Porta para o Mundo
* Governador Flávio Dino (MA): Gestão e ampliação do Porto do Itaqui, novos terminais privados, regularização fundiária e eficiência da malha multimodal que abastece o Maranhão
* Grão-Pará Multimodal: Projeto de terminal em Alcântara consiste em SPE com porto, ramal ferroviário e potencial de aumento de 20% no PIB do Maranhão

O trecho ferroviário poderá cumprir, de acordo com o PPI, um papel estruturante para o escoamento da produção de milho, soja e farelo de soja do estado do Mato Grosso, prevendo-se ainda o transporte de óleo de soja, fertilizantes, açúcar, etanol e derivados do petróleo. "O Arco Norte é a melhor porta de saída para o mercado consumidor asiático e europeu. O potencial de redução de custos [com fretes] é enorme. Demanda nunca vai faltar. Mato Grosso hoje produz 65 milhões de toneladas e tem condição de produzir 120 milhões de toneladas até 2028. O que a gente fizer de infraestrutura vai ser pouco".

promare arconorte

Para a modelagem da concessão da Ferrogrão está sendo adotado o modelo vertical de exploração da ferrovia, no qual uma única empresa é responsável pela gestão da infraestrutura e prestação do serviço de transporte. O prazo de concessão previsto é de 65 anos. "Na concessão não há a perda da propriedade do ativo, continua sendo do Estado. Vai explorar por determinado período de tempo e vai devolver o equipamento ao Estado. Na privatização a gente transfere a propriedade", explicou o ministro ao apresentador.

Acesse a página do projeto no site do PPI.

Pin It
0
0
0
s2smodern
powered by social2s