Nomeado nesta segunda-feira, 18 de fevereiro, o novo diretor-presidente da Companhia Docas do Rio de Janeiro (CDRJ) destaca-se pelo extenso currículo de contribuições ao setor naval e à Marinha do Brasil. Aos 69 anos, o almirante Francisco Antônio de Magalhães Laranjeira substitui Tarcísio Tomazoni e tem, entre seus desafios, moralizar a direção da Docas e tornar mais eficiente a gestão dos portos de Itaguaí, Rio de Janeiro, Angra dos Reis e Niterói.

Presidente da Docas do Rio de Janeiro, almirante Laranjeira
A posse aconteceu durante reunião do Consad - Foto: Asscom CDRJ

Leia também
* Docas do Rio registra crescimento de 42% na movimentação de carga conteinerizada
* Aparelhamento sem fim na Docas do Rio e um novo modelo para os portos brasileiros
* Docas do Rio informa regularização do CNPJ perante a Receita Federal

Embora tenha comemorado recordes de movimentação em 2018, a CDRJ convive com severas dificuldades financeiras, incluindo 145 processos referentes a débitos trabalhistas e o vexame da suspensão temporária no Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ) por ter omitido, ao longo de dois anos, declarações e demonstrativos financeiros à Receita Federal. Além disso, ex-dirigentes da Companhia, como o ex-presidente Antônio Carlos Soares Lima, foram denunciados em setembro de 2018 pelos crimes de dispensa de licitação e peculato.

Quem é o novo presidente

O almirante Laranjeira ingressou na Marinha do Brasil em 1968 e, ao longo da formação militar, passou pela Escola Naval, pela Escola de Guerra Naval (EGN) e pela Escola Superior de Guerra (ESG), onde se formou no curso de Altos Estudos de Política e Estratégia (CAEPE).

Ocupou, nos últimos anos, o cargo de diretor-presidente da Empresa Gerencial de Projetos Navais (Emgepron), foi chefe do Estado-Maior do Comando de Operações Navais e Capitão dos Portos do Rio de Janeiro. Ele ainda atuou como comandante do 6º Distrito Naval, da 1ª Divisão da Esquadra e do Centro de Instrução Almirante Alexandrino.

Pin It
0
0
0
s2smodern
powered by social2s