Ultracargo Pg

Em abril vai fazer três anos que ocorreu o incêndio no terminal da Ultracargo, o maior na história do Porto de Santos, e que ainda não se apagou em muitas memórias, deixando marcas indeléveis na natureza e no social. Uma proporção causada por fortes suspeitas de projeto e execução fora de norma, esclarecimento ou culpa que a Ultracargo ainda não apresentou ou se desculpou à sociedade.

Leia também
Uma tragédia anunciada

Para se ter idéia da dimensão dos estragos, o Ministério Público multou a companhia em R$ 3,6 bilhões por conta dos prejuízos que devem ser insuficientes para ressarcir a totalidade de danos econômicos à comunidade de pescadores do entorno do terminal. A Promotoria alega que por causa de uma bomba que foi ligada às válvulas que estavam fechadas, por conta da pressão causada os tanques explodiram. Por efeito, o calor e o líquido que vazaram acenderam o inferno em que se tornou a entrada da cidade de Santos.

As bacias de contenção construídas em torno dos tanques de combustível, enterrados suficientemente para reduzir a necessidade de superfície, bem como a distância a ser guardada entre os tanques, são normas que evitam o alastramento da tragédia. Isso foi respeitado no projeto da Ultracargo no Porto de Santos? E se não foi, qual a razão?

O barateamento de projetos descumprindo normas, priorizando maior margem de lucro, se compara às relações corruptas em que se envolveram empreiteiras de renome internacional, como a Odebrecht. No final, quem paga é sempre a sociedade que forma a base da pirâmide, cujo topo é ocupado por lideres que buscam o lucro a qualquer preço. Sustentabilidade é a palavra de ordem mundial e envolve a vida no planeta em toda a sua dimensão.

Sustentabilidade é como diz a Ultracargo em seu site: ”Para nós, tão importante quanto crescer é crescer de forma sustentável, portanto atuamos priorizando a melhoria na produtividade com foco na inovação, sem perder de vista os aspectos sociais e ambientais do entorno.” Por entender esse momento da governabilidade, Emílio Odebrecht, o presidente da empreiteira, publicou uma página nos principais jornais do Brasil se desculpando pelo banditismo que a sua empresa promoveu.

Em 2018 a sustentabilidade terá um destaque especial, quando os negociadores de mais de 190 países formalizam a implementação do acordo assinado em Paris no final de 2015 e que tanto incomoda o presidente Donald Trump. O WebSummit Porto Sustentável é um evento do Portogente voltado a reunir atores dos diversos segmentos das logísticas que passam pelos portos, para ampliar o espaço de reflexão sobre a sustentabilidade.

Portogente entende que para elevar ao máximo a sustentabilidade possível no Planeta é preciso ter mais do que um compromisso formal. Através da história aprendemos sobre o significado dos fatos. Reconstruir o incêndio da Ultracargo em Santos, em 2015, será a missão do Case do WebSummit Porto Sustentável.

Pin It
0
0
0
s2smodern
powered by social2s