O comércio internacional envolve o globo em uma rede de troca que melhora a vida dos seus habitantes

Assim como foi a mudança dos trapiches para os cais corridos; dos cascos de madeira para o de metal e das velas para o vapor, o comércio marítimo atravessa uma nova mudança de paradigma. O debate do Porto do Futuro é intenso nos principais portos do mundo, pelas exigências da sustentabilidade e por causa das novas tecnologias digitais. Isto também precisa acontecer nos portos brasileiros.

600 Navio NOV2020 5

Leia também 
Santos2050: um projeto para mais de US$ 25 bilhões

Um debate muito além do papo cabeça sobre novas tecnologias que deveria refletir as novas formas possíveis de fazer as coisas legitimando as decisões. É necessário pensar a questão portuária holisticamente, nos parâmetros do conceito de classe mundial. Como vem sendo formulada a reforma do principal porto do Brasil no projeto Santos2050, distinto da solução de curta duração do projeto da Secretaria Nacional de Portos e Transportes Aquaviários – SNPTA.

Editorial 
Uma reforma portuária como um voo de águia

Ao abordar o panorama da sustentabilidade, tem destaque a relação porto e cidade. Os acessos ao porto, tema atrelado à produtividade dos operadores de transporte e de logística, assim como aos conflitos com os fluxos urbanos. Por isso, há menos de um ano, no mesmo porto de Santos, a doidice de utilizar um navio atracado próximo a um bairro residencial, para armazenar gás e com potêncial de 55 bombas de Hiroshima, foi vedada pelo Ministério Público.

Entrevista especial | Vera Gasparetto 
Navio-bomba: potencial equivalente a 55 bombas de Hiroshima no Porto de Santos

Portanto, para que nossos portos possam alcançar o futuro, é preciso que nos coloquemos dentro dessa conjuntura. Que o discurso e a prática sejam harmoniosos. Todavia, a ruptura promovida pelo programa de desestatização dos portos carece de resolução. Entretanto, promove uma oportunidade de reconstruir um porto em colapso e implantar um projeto alinhado com o novo comércio que chega por mar, em navios de última geração.

Cais das Letras 
Planejar o túnel e sua relação com as cidades, destaca o arquiteto José Marques Carriço

Perceber e se situar nesse horizonte, com o objetivo prático de um grande projeto coletivo e de ter compromisso com o progresso do País, possibilita avistar luz no meio do caos. Santos2050 é a carta dessa jornada.

Pin It
0
0
0
s2sdefault
powered by social2s

*O Dia a Dia é o editorial do Portogente publicado de segunda a sábado e expressa fielmente a posição coletiva dos responsáveis pela redação do website

O que você achou? Comente