Opinião

Apesar de defender como essencial o direito de acesso às novas tecnologias e às redes de banda larga no País, a candidata à presidência da República Marina Silva (PSB) não se comprometeu em implementar a prestação desse serviço em âmbito do sistema público, na série "Diálogos Conectados", promovida pela Campanha Banda Larga é um Direito Seu!, realizada no último dia 22, na sede do Sindicato dos Engenheiros no Estado de São Paulo, na Capital paulista. Ao longo de todo o evento, a candidata deixou clara a opção pelo atual modelo de exploração do serviço pelas empresas de telefonia móvel, que impõem suas modalidades de planos para banda larga a custos altos e sem garantia de qualidade do serviço aos usuários que, hoje, compõem apenas parte da população, em torno de 40%.

0
0
0
s2sdefault
powered by social2s
Engenheiro eletrônico, é vice-presidente da Fiorde Logística Internacional, de São Paulo-SP, e professor de pós-graduação em Transportes e Logística no Departamento de Engenharia Civil da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp)

0
0
0
s2sdefault
powered by social2s
Sócio fundador da Audaces Automação, uma empresa de tecnologia brasileira que possui clientes em 70 países. É formado em Ciências da Computação pela UFSC

0
0
0
s2sdefault
powered by social2s
André de SeixasCriador e Editor do Site dos Usuários dos Portos do Rio de Janeiro

0
0
0
s2sdefault
powered by social2s
Engenheiro eletrônico, é vice-presidente da Fiorde Logística Internacional, de São Paulo-SP, e professor de pós-graduação em Transportes e Logística no Departamento de Engenharia Civil da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp)

0
0
0
s2sdefault
powered by social2s

*Todo o conteúdo contido neste artigo é de responsabilidade de seu autor, não passa por filtros e não reflete necessariamente a posição editorial do Portogente.

O que você achou? Comente