A partir de maio, o tráfego de veículos da região entre Rondonópolis (MT) e o Terminal de Cargas da América Latina Logística (ALL) da BR-163/MT será realizado pela nova pista, enquanto a pista original é restaurada com previsão de entrega em três meses. Os 22,7 quilômetros foram duplicados ao longo de dez meses pela Rota do Oeste, concessionária que administra a rodovia. Após finalizar a fase de acabamento e sinalização, o trecho será oficialmente entregue à Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT).

Leia também
Para acabar com os problemas da logística

A priorização do acesso ao terminal aconteceu em razão da grande afluência de caminhões e carretas nesse local para o escoamento da safra de grãos do estado do Mato Grosso. Os trabalhos envolveram aproximadamente mil pessoas, 295 máquinas e a instalação de duas usinas com capacidade para produzir 240 toneladas de asfalto por hora cada, a mais moderna da América Latina. Ao todo, 2,9 mil pessoas atuam nas obras de transformação da rodovia e mais de 700 máquinas estão mobilizadas.

Outras obras - Com a conclusão dos primeiros 22,7 quilômetros, as obras continuam em direção à divisa com o Mato Grosso do Sul, no km 0 da rodovia. A meta é concluir todo o trecho sul, aproximadamente 75 quilômetros, já no primeiro semestre de 2016.

Estão avançadas as construções das pontes e viadutos que vão compor os dispositivos de acesso e retorno à rodovia. Também no trecho que liga Rondonópolis ao terminal de cargas da ALL, alguns dispositivos já tomam forma e podem ser vistos pelos usuários. É o caso do acesso em trombeta ao Aeroporto de Rondonópolis, localizado no km 107 da rodovia, que já possui 41% de obras concluídas, sendo que o viaduto que liga uma extremidade à outra já avançou 77% nos trabalhos.

Mais obras estão em andamento ou previstas para iniciar ainda este ano. É o caso das pontes sobre os rios Correntes (km 0), Sozinho (km 24), Itiquira (km 29), Cachoeira (km 44), Ponte de Pedra (km 55) e Inhumas (km 74). Acessos nos quilômetros 13, 34, 47, 76, 94 e 119, também estão previstos, entre outros retornos e intervenções menores.

Com 850,9 quilômetros de extensão, a BR-163/MT foi concedida para iniciativa privada com o objetivo de exploração da infraestrutura, em 20 de março de 2014, pelo período de 30 anos. A licitação fez parte da 3ª etapa do programa de concessões rodoviárias. Fonte: ANTT, com informações da concessionária Rota do Oeste.

Pin It
0
0
0
s2sdefault
powered by social2s

O que você achou? Comente