Laboratório de inovação visa aumentar as redes de cooperação, com atores públicos e privados, em prol da segurança hídrica e resiliência costeiro marinha da região da baía.

Entre os dias 1º e 2 de agosto, acontece no Rio de Janeiro (RJ) a primeira jornada de imersão do OásisLab, iniciativa desenvolvida para fortalecer a segurança hídrica e a resiliência costeiro-marinha da Baía de Guanabara.

Baia Guanabara

Consciência nossa
Hábitos em benefício do meio ambiente e de uma sociedade mais sustentável

Nesta etapa, atores estratégicos para a região hidrográfica da bacia se reunirão para, juntos, criarem soluções inovadoras baseadas na natureza a partir da integração de agendas, conhecimento e experiências. Estarão presentes representantes de governos, comitês de bacia, instituições do terceiro setor, instituições financeiras e empresas, somando cerca de 100 participantes.

Portos sustentáveis
A sustentabilidade dos nossos portos

 

O OásisLab é uma iniciativa da Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza, em parceria com a Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan) e o Instituto Estadual do Ambiente do Rio de Janeiro (Inea).

Baía
Localizada no estado do Rio de Janeiro, a Baía de Guanabara engloba 14 municípios, formando uma região hidrográfica de extrema importância no âmbito econômico, social e de lazer.

Para fortalecer a segurança hídrica e a resiliência marítimo costeira na Baía de Guanabara será lançada, no dia 24 de junho, a iniciativa OásisLab. A proposta desenvolveu um laboratório de inovação que vai reunir atores dos setores público e privado, com o objetivo de criar e prototipar soluções baseadas na natureza e aprimorar os projetos de conservação já em execução na Baía. “O OásisLab visa formar alianças estratégicas para destravar soluções e projetos existentes, bem como desenhar projetos colaborativos, integrando agendas para a geração de impactos positivos na região hidrográfica e nos seus ecossistemas costeiros associados”, destaca o coordenador de Soluções baseadas na Natureza da Fundação Grupo Boticário, Renato Atanazio.

O programa é uma iniciativa da Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza, em parceria com a Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan) e o Instituto Estadual do Ambiente do Rio de Janeiro (Inea). A principal estratégia a ser adotada é a formulação de Soluções baseadas na Natureza (SbN), que são ações que utilizam processos e ecossistemas naturais para enfrentar desafios atuais urgentes da sociedade. No caso da Baía de Guanabara, os principais desafios e as possíveis SbN aplicáveis são:

- Segurança hídrica: conservar e recuperar os ecossistemas visando ampliar a capacidade de armazenamento e produção de água na natureza, reduzindo o transporte de sedimentos e os custos com o tratamento da água.
- Assoreamento: ampliar a cobertura de vegetação nativa na região, especialmente nas margens de rios, controlando a quantidade de sedimentos que chegam à Baía.
- Enchentes/inundações: manter e ampliar áreas naturais nativas que possam minimizar os fluxos superficiais de água, aumentando o potencial de adaptação aos eventos extremos de chuva que historicamente impactam a região.
- Degradação dos ecossistemas costeiros: serão realizadas ações de manejo sustentável e recuperação de recifes, que podem ser eficientes também para conter o avanço do nível do mar e ao mesmo tempo desenvolver a economia local;

“Há um imenso potencial ainda não explorado na Baía de Guanabara. A Firjan quer ser protagonista da plena recuperação da Baía, e para isso precisamos agir de forma integrada. Com esse objetivo, identificamos na parceria com a Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza e com o Instituto Estadual do Ambiente uma oportunidade de participar deste processo de melhoria de sua qualidade ambiental, gerando oportunidades de negócios, emprego, renda, bem-estar social e desenvolvimento econômico do entorno”, ressaltou Lídia Aguiar, analista de Meio Ambiente da Firjan.

Pin It
0
0
0
s2smodern
powered by social2s