O programa de democracia forte exige a descentralização do poder

O Porto de Santos pode perder mais uma década e continuar perdendo oportunidade, caso fracasse o seu programa de desestatização promovido pelo ministério da Infraestrutura- Minfra. E as demais reformas de portos, em curso, irão juntas. Com quase 70% do cronograma do programa já realizados, para se atingir os resultados desejados são necessárias, entretanto, reformulações estratégicas. Estão em jogo oportunidades e postos de trabalho.

600 navio dad 29JUL2019Porto de Santos, no litoral paulista. Foto: Arquivo Portogente.

Leia também 
Futuro incerto no Porto de Santos
O desenvolvimento que precisa chegar aos portos brasileiros

Sobre questão tão crucial ao desenvolvimento do Brasil, é oportuno e necessário debater as colocações do Engº Carlos Eduardo B. Magano, no Portogente de hoje, complementando reflexões anteriores. “O ponto de maior controvérsia na desestatização da Autoridade Portuária em Santos é a delegação da função de outorgas de áreas ao setor privado”, uma colocação num horizonte técnico e operacional balizador para a busca da melhor solução.

Editorial 
Distrito portuário ameaça a cidade e o Porto de Santos

Recentemente, nos portos do Paraná, ocorreu decisão do Minfra inovadora para o processo de reforma dos demais, em curso. A agilidade na implantação da autonomia de gestão das suas áreas e da dragagem, transferidas ao governo Ratinho Júnior, filho do famoso apresentador e humorista da TV, será eficaz também se estendida ao projeto desenvolvido pelo – BNDES e o consórcio DAGNL, na desestatização do Porto de Santos.

Leia ainda 
Portos do Paraná fazem reforma para não mudar

Decerto, haverá maior engajamento da comunidade portuária, que atualmente sente-se ameaçada e articula-se para medidas judiciais, que estimulam, também, entraves políticos ao desenvolvimento portuário e regional. O que se assiste nos portos do Paraná decorreu do “Minfra ter assumido a coordenação indutora do desenvolvimento” como propõe Magano. É preciso privatizar a infraestrutura de acesso ao Porto de Santos: terrestre e aquaviário.

Editorial
Falta governança asiática nos portos

Dessa forma, com visão avançada e conhecimento minucioso das forças atuantes na atividade do Porto de Santos, serão solucionados conflitos e fomentadas colaborações construtivas. O navio da oportunidade está pronto para zarpar.

.

Pin It
0
0
0
s2sdefault
powered by social2s

*O Dia a Dia é o editorial do Portogente publicado de segunda a sábado e expressa fielmente a posição coletiva dos responsáveis pela redação do website

O que você achou? Comente