Instituto de Engenharia pode fornecer fontes para comentar como a produção de alimentos no Brasil é fundamental para alimentar o mundo até 2050 e de como o escoamento ferroviário pode auxiliar nessa meta

Dados de mercado: Na última semana, a ministra da Agricultura, Pecuário e Abastecimento, Tereza Cristina afirmou que o agronegócio é um dos setores mais prontos para a retomada que o Brasil terá após o coronavírus e que no momento o setor tem batido recordes, representando hoje 46,6% das exportações brasileiras.

A ministra citou ainda o fato de o Brasil ter aberto seu 60º mercado externo desde janeiro de 2019, com o a exportação de lácteos para Tailândia, além de outros produtos que abriram novos mercados externos, como o melão para China, Castanha de Baru para Coréia do Sul, Gergelim para Índia e castanha do Pará para Arábia Saudita e entre outros. Segundo Tereza Cristina, o Brasil atingiu 10 bilhões em exportações no 1º quadrimestre e teve o melhor março dos últimos anos. Nesta mesma conversa, a ministra afirmou que existe necessidade de melhorar a logística para escoamento da produção, que está localizada no interior do Brasil.

Dados do estudo: Novos olhares da Engenharia para o Brasil – Estudos do Instituto de Engenharia

Brasil: Alimentos para o mundo

O Instituto de Engenharia (IE) produziu o estudo Brasil: Alimentos para o Mundo. A meta é ajudar o Brasil por meio da engenharia a desempenhar um papel de protagonismo, ao contribuir decisivamente para a redução da fome no mundo. Desenvolvido por especialistas, tendo Jorge Hori como relator do estudo, ele é baseado em três pilares: agronegócio, mercado mundial e iniciativa privada. O estudo já foi encaminhado aos novos governos (federais e estaduais) para que seja incorporado nas medidas governamentais dos próximos anos. A íntegra do estudo Brasil: Alimentos para o Mundo está disponível em https://www.institutodeengenharia.org.br/site/wp-content/uploads/2018/10/Alimentos.pdf.

Ocupação Sustentável do Território Nacional pela Ferrovia Associada ao Agronegócio

O Instituto de Engenharia defende também que o governo federal precisa agir rapidamente para suprir a necessidade dos agricultores em melhorar o escoamento de produtos por meio de um modal ferroviário. Neste pensamento, o IE tem o estudo: Ocupação Sustentável do Território Nacional pela Ferrovia Associada ao Agronegócio. Esse material explica ponto a ponto como seria esse avanço do agronegócio por meio de uma expansão ferroviária. Abaixo, segue o manifesto completo e a listagem de todas associações que assinaram o documento.

Benefícios ao se investir em ferrovias

· Geração de empregos em um momento desafiador para economia brasileira;

· Transporte ideal para longas distâncias e mais barato que o rodoviário;

· 38% menos de emissão de CO2 ou 0% de emissão (se eletrificada), 2,5 vezes menos impacto ambiental na construção da linha férrea em relação às rodovias;

· Grande capacidade de transporte;

· 500 carretas de minério = 1 trem padrão com 134 vagões;

· 50 caminhões = 1 trem padrão de contêineres;

· Redução de perdas;

· Indutor de tecnologia e infraestrutura de utilidades para cidades (energia, telecomunicações e etc).

Porta-vozes:

Eduardo Lafraia – presidente do Instituto de Engenharia

Presidente do Instituto de Engenharia, tendo presidido a Casa também nas gestões de 2003-2004 /2005-2006. Engenheiro Civil (Mackenzie), pós-graduado em Administração de Empresas (FGV) e MBA em Administração de Empreendimentos da Construção Civil (Poli-USP). Já foi presidente do Conselho Deliberativo da Apeop, membro do Conselho de Orientação do IPT, do Conselho Superior de Infraestrutura da Fiesp, da Cadeia Produtiva da Indústria da Construção Civil, Fiesp e diretor de obras da Cohab-SP.

Jorge Hori – Relator dos estudos do Instituto de Engenharia

Consultor na área de planejamento estratégico. Autor do livro “Até onde a vista alcança”, sobre os interesses das comunidades e das corporações na política brasileira. Formado Administração pela IBAP-FGV.

Sobre o Instituto de Engenharia

A missão do Instituto de Engenharia é promover a Engenharia em benefício do desenvolvimento e da qualidade de vida da sociedade.O IE é uma sociedade civil sem fins lucrativos, com mais de cem anos de tradição, credibilidade e comprometimento com o desenvolvimento do Brasil. Seu quadro de associados é constituído por personalidades importantes de todas as áreas da Engenharia do Brasil, firmando-se como uma das mais conceituadas entidades do ramo no Brasil. Em sua sede, são realizados diversos eventos, cursos e palestras, além de visitas técnicas para promover a troca de informações e o desenvolvimento da qualidade e da credibilidade dos profissionais, bem como a valorização da engenharia e os avanços científico e tecnológico do País.

Pin It
0
0
0
s2smodern
powered by social2s

*Todo o conteúdo contido neste artigo é de responsabilidade de seu autor, não passa por filtros e não reflete necessariamente a posição editorial do Portogente.

  escreva corporativas