Transporte / Logística

Engenheiro naval, desde 1990 atuando na Libra Terminais, Gustavo Pecly Moreira tem a responsabilidade, desde 1º de julho do último ano, de comandar o Terminal 37 de Santos. O empreendimento de grande porte recebe, desde 2005, mais de 1.000 escalas de navios por ano e, em 2007, operou quantidade superior a 500 mil contêineres. Flamenguista e apreciador de caminhadas na orla da praia de Santos, Pecly veio do Rio de Janeiro – em substituição a Mauro Salgado - para fomentar o crescimento da empresa no maior porto da América Latina. Deixou na capital carioca os dois filhos mais velhos, morando hoje com a esposa e o herdeiro caçula.

0
0
0
s2smodern
powered by social2s
Nos últimos três anos, o presidente da Comissão Nacional de Segurança nos Portos e Vias Navegáveis (Conportos), João Carlos Campos, já respondeu diversas vezes sobre o atraso na implantação do ISPS Code nos portos brasileiros. Entretanto, agora a sua paciência parece estar próxima do fim. E há motivos mais que suficientes para isso, pois importantes portos públicos do Brasil, como Santos, Maceió e Vitória ainda não conseguiram adequar-se às regras do Código Internacional de Segurança de Navios e Instalações Portuárias, por mais que recebam verbas, visitas de técnicos e ultimatos de Brasília, antes por parte do Ministério do Transportes e, atualmente, da Secretaria Especial de Portos (SEP).

0
0
0
s2smodern
powered by social2s
Em mais uma medida para reduzir o número de acidentes no Porto de Santos – onde só esse ano seis portuários morreram –, a direção da Codesp publicou uma resolução que obriga os operadores portuários a promover o chamado check list antes de toda operação no cais, para evitar a ocorrência de novas tragédias no complexo santista. O texto foi finalmente publicado na última quinta-feira (13), um dia depois da criação do Cenep e do anúncio da compra de simuladores para o treinamento de portuários. Entretanto, como PortoGente antecipou na semana passada, a resolução já estava pronta desde 6 de dezembro, aguardando apenas sua divulgação.

0
0
0
s2smodern
powered by social2s
A chegada do verão e de dias de calor intenso causa mais uma preocupação aos trabalhadores portuários, já sujeitos a todo tipo de intempérie climática. Como se não bastasse o permanente risco de acidentes, colocando em risco a saúde e a segurança dos operários, os trabalhadores ficam expostos ao sol durante a maior parte da faina nessa estação. O modo mais eficiente de se proteger é utilizar o filtro solar que, embora muito divulgado, ainda não é adotado pela maioria dos portuários.

0
0
0
s2smodern
powered by social2s
O mecânico Marcos André Oliveira Araújo morreu, no último dia 22, após sofrer um acidente a bordo do navio de longo curso Castle Island, no Porto de Vila do Conde (PA). Araújo, que chefiava a casa de máquinas da embarcação, foi arremessado nas águas do Rio Pará. Ele estava sem colete de proteção e utilizava apenas botas próprias para a função. O corpo do trabalhador de 30 anos foi achado somente no último sábado (24), mais de 40 horas após a ocorrência. Um outro trabalhador também foi arremessado ao rio e teve uma perna fraturada. Ao contrário de Araújo, ele utilizava o colete de proteção individual na hora do acidente, equipamento que o ajudou a sobreviver.

0
0
0
s2smodern
powered by social2s