Em comunicado enviado à imprensa, a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) anunciou a abertura de um procedimento administrativo relativo à queda de helicóptero nesta segunda-feira, 12 de fevereiro, em São Paulo (SP), acidente que matou o jornalista Ricardo Boechat e o piloto Ronaldo Quatrucci, proprietário da RQ Serviços Aéreos Especializados. Segundo a Agência, a aeronave estava em situação regular - o Certificado de Aeronavegabilidade (CA) era válido até maio de 2023 e a Inspeção Anual de Manutenção (IAM) estava em dia até maio de 2019. No entanto, a empresa não poderia prestar serviço de taxi aéreo, modalidade provavelmente contratada para o transporte de Boechat, que voltava de Campinas à sede do Grupo Bandeirantes de Comunicação após realizar uma palestra para colaboradores da companhia farmacêutica Libbs.

Acidente de helicóptero mata Ricardo Boechat e piloto
Cena de destruição na área da queda do helicóptero - Foto: Marcelo Gonçalves/Estadão Conteúdo

A RQ Serviços Aéreos foi selecionada pela Zum Brasil, que por sua vez foi contratada pela Libbs. A Anac informa que a aeronave de matrícula PT-HPG e a empresa possuíam autorização para prestar Serviços Aéreos Especializados (SAE), que incluem aerofotografia, aeroreportagem e aerocinematografia, entre outros do mesmo ramo. Qualquer outra atividade remunerada fora das mencionadas não poderia ser prestada.

O helicóptero da fabricante Bell Helicopter, de matrícula PT-HPG, comportava até 4 pessoas. De acordo com informações oficiais da Aeronáutica, as licenças e habilitações do piloto comercial estavam válidas.

A queda ocorreu na Rodovia Anhanguera, próxima à ligação com o Rodoanel. A aeronave se chocou violentamente na parte dianteira de um caminhão que transitava pela via. O motorista, por sua vez, sofreu somente ferimentos leves. Segundo testemunhas, o piloto tentava fazer um pouso de emergência.

As investigações sobre as causas do acidente estão sendo conduzidas pelo Quarto Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (SERIPA IV), órgão regional do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa), do Comando da Aeronáutica.

Boechat tinha 66 anos, deixa a esposa, Veruska, e seis filhos. Ele foi premiado com três Prêmios Esso de Jornalismo e era referência na rádio nacional ao apresentar, pelas manhãs, programa informativo na BandNews FM.

Pin It
0
0
0
s2smodern
powered by social2s