A Companhia Docas de Imbituba (CDI) é uma empresa de capital aberto com concessão para exploração do Porto de Imbituba até 2012, sendo este o único porto privado do país. Foi construído em uma enseada aberta, no litoral sul de Santa Catarina.

 

Entre janeiro e agosto deste ano o porto já recebeu 125 navios, que movimentaram 1 milhão 46 mil toneladas de cargas, com destaque para a importação de carvão coque, com 241 mil toneladas, seguida da exportação de açúcar em sacos, com 138 mil toneladas, de acordo com dados fornecidos pela administração do porto.

 

Seu administrador é Jeziel Pamato de Souza. Com 40 anos, casado e com três filhas, concedeu entrevista para a série de reportagens Portos do Brasil.

 

PortoGente: Quais foram as conseqüências do colapso da indústria do carvão no início dos anos 90 para o Porto de Imbituba?

Jeziel Pamato de Souza: O colapso da indústria do carvão gerou a principal crise já vivenciada pelo porto, pois praticamente extinguiu os embarques, reduzindo 86% a movimentação de cargas entre os anos de 1986 e 1993. Por mais de 80 anos o porto foi o sustentáculo econômico de Imbituba e o principal provedor de benfeitorias e serviços que mesmo cidades de grande porte ainda desconheciam, como energia elétrica gerada a partir do carvão, água encanada, planejamento urbanístico, etc. Encerrado o ciclo do carvão, o porto viu-se em um mercado altamente competitivo, obrigado a disputar cargas com vizinhos gigantes como os portos de Paranaguá e Rio Grande e os já diversificados e consolidados portos catarinenses de Itajaí e São Francisco do Sul.

 

PortoGente: O que é movimentado hoje no porto e qual é o volume das importações e exportações?

Jeziel Pamato de Souza: O porto recebe fertilizantes, coque de petróleo, grãos agrícolas e contêineres. Exporta congelados (frangos e suínos), açúcar em sacos, carga geral (madeira, veículos, cerâmica, etc.) e carga contêinerizada.

 

PortoGente: Como é a relação do terminal com os países do Mercosul?

Jeziel Pamato de Souza: Os países vizinhos do Mercosul e também países andinos estão estreitamente ligados ao Porto de Imbituba. Grande parte do fertilizante (salitre) provém do Chile, grãos da Argentina e contêineres são movimentados nos dois sentidos em larga escala.


PortoGente: Em qual estágio está a implantação do ISPS Code em Imbituba?

Jeziel Pamato de Souza: Todas as instalações e equipamentos de segurança eletrônica estão em funcionamento e já iniciamos a etapa final de cadastramento de pessoas e veículos.


PortoGente: O porto tem condições de aumentar suas operações e seu espaço territorial?

Jeziel Pamato de Souza: O espaço do porto público é limitado à área da concessão. Esta área é bastante extensa, com pátios de retaguarda totalizando 1,5 milhão de metros quadrados.


PortoGente: A EMACOBRAS S/A detém, até 2012, o controle acionário da CDI. Quais investimentos serão feitos até lá?

Jeziel Pamato de Souza: Os investimentos até 2012 estão sendo feitos em parceria com outros investidores, mediante arrendamento de áreas para novos terminais de carga, com prazos de contrato de 25 anos garantido pelo Governo Federal.

 

PortoGente: Qual é a sua expectativa quanto à operação da Libra Terminais, iniciada em junho?

Jeziel Pamato de Souza: Imbituba está dando um salto de qualidade e quantidade ao ter a Libra Terminais como parceira, retomando a movimentação de contêineres, que já vem atingindo 10 escalas de navios mensais e uma movimentação estimada para 2005 de 25.000 TEU’s (twenty-feet equivalent unit), o que é um bom número para começar.  Em 2006 pretendemos estar com o Terminal de Contêineres com pelo menos 40 mil metros quadrados de área devidamente pavimentada e com tomadas reefers, além do projeto de ampliarmos o Berço 2 em 100 metros e com isto aumentar nossa movimentação, com expectativa de atingirmos em 2006 um total de 60 mil contêineres.


PortoGente: Como é a relação entre o porto e a cidade?

Jeziel Pamato de Souza: A economia da cidade depende em cerca de 70% da atividade portuária. No porto estão localizadas as principais indústrias e empresas. Também é o maior empregador de mão-de-obra e o maior contribuinte de impostos, considerando todas as empresas nele estabelecidas. O porto vive um momento muito especial em sua relação com a cidade, sendo o prefeito municipal José Roberto Martins um empresário do setor portuário.

Website: www.cdiport.com.br 

Pin It
0
0
0
s2smodern
powered by social2s