Em assembleias simultâneas realizadas nos portos de Belém, Santarém e Vila do Conde, funcionários da Companhia Docas do Pará (CDP) e associados ao Sindiporto decidiram que irão entrar em greve no próximo dia 26 de abril caso a Autoridade Portuária não inclua o adicional de risco portuário a 157 trabalhadores no pagamento que será feito no dia anterior. A categoria também exige que a CDP cumpra com o Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) vigente. A empresa é comandada pelo engenheiro Eduardo Henrique Pinto Bezerra, cujo nome foi ratificado pelo Conselho de Administração (Consad) no último dia 27 de fevereiro.

Edifício sede da Docas do Pará
Edifício sede da Docas do Pará - Foto: Google Maps

Leia também
* Governo arrecada R$ 447 milhões com leilão de 6 áreas no Pará
* Engenheiro e ex-titular do CAP é favorito para assumir a presidência da CDP

Desde que assumiu o cargo, Bezerra tem cobrado transparência no trabalho dos funcionários da CDP e promete austeridade com os gastos da estatal e com os pagamentos aos empregados de carreira.

Insatisfeitos com a retirada do pagamento do risco portuário, os portuários ligados ao Sindiporto resolveram programar uma manifestação em frente ao edifício sede da administração da Companhia a partir das 7h da próxima quinta-feira, 25 de abril, e caso o adicional não conste no depósito tradicionalmente feito no mesmo dia 25, entrarão em greve no dia seguinte, sem prazo para a suspensão da paralisação.

Atualização às 20h de 24 de abril de 2019

Em resposta aos questionamentos do Portogente, o diretor-presidente da CDP, Eduardo Henrique Bezerra, alegou que vem promovendo o diálogo com empregados e com as associações representativas de modo recorrente. "Em momento algum será descartada a possibilidade de abrir espaço para avaliar e debater a matéria. Trata-se de um assunto que vem sendo debatido há cerca de dois anos".

De acordo com ele, as prioridades de seu mandato à frente da Companhia atendem às diretrizes estabelecidas pelo Governo Federal, modernizando e aprimorando a gestão da empresa, bem como promovendo a expansão, modernização e otimização da infraestrutura e da superestrutura que integram os portos organizados e instalações portuárias. "Nesse contexto, serão buscadas iniciativas com vistas a remunerar de forma adequada os ativos públicos administrados pela CDP".

Pin It
0
0
0
s2smodern
powered by social2s