Responsável por agilizar a descarga de granéis sólidos dos navios que atracam no Porto de Aratu-Candeias, na Bahia, o Pátio de Estocagem produz efeitos diretos sobre a redução na fila de embarcações fundeadas. São 68,4 mil metros quadrados de área e capacidade estática de 475 mil toneladas para produtos como fertilizantes (KCL, Map, Rocha Fosfática, etc) e minérios de ferro, manganês e cromo, esses últimos exportados.

O Pátio de Estocagem é diretamente interligado ao Terminal de Granéis Sólidos (TGS I) - Berço Sul por meio de empilhadeira e correias transportadoras, bem como ao Descarregador de Navios (DN), de uso nas importações, e ao Carregador de Navios (CN1), para exportações. O uso desses equipamentos acessórios torna a operação mais ágil, limpa e eficiente, com reflexo direto sobre o desempenho das pranchas (ritmo) de embarque ou descarga dos navios.

“Até para os Berços que não possuem interligação direta através de equipamentos (berços Norte e Píer II) e realizam operações através de caminhões, o pátio, por se encontrar próximo aos píeres, viabiliza o "giro" mais rápido dos veículos nessas operações”, detalha o diretor de Infraestrutura e Gestão Portuária da Companhia Docas do Estado da Bahia (Codeba), Carlos Taboada

Nos últimos anos, o pátio recebeu intervenções de melhoria, resultando na recuperação do piso, mudanças no sistema de correia e transportadora, segundo normas de segurança e recuperação das estruturas da empilhadeira. “Temos ainda o prolongamento do caminho da empilhadeira, que, anteriormente, só atingia um terço da área do pátio, e, com os serviços concluídos em 2014, passaram a cobrir toda extensão”, acrescenta Taboada.

Pin It
0
0
0
s2smodern
powered by social2s