Bolsas, documentos, livros, roupas, cartões de crédito e até cadeiras de rodas: objetos de todos os tipos podem ser perdidos por um passageiro em um aeroporto, e a Infraero, para auxiliar os usuários a reaver pertences deixados nos aeroportos, disponibiliza em todos os 63 terminais da Rede uma seção de Achados e Perdidos.
 
A guarda e devolução de objetos perdidos nas dependências de um aeroporto da Rede são de responsabilidade da Infraero, sendo que os procedimentos e sistemas relacionados a Achados e Perdidos são realizados de forma compartilhada pelas áreas de Operação e Segurança de um aeroporto. As dependências de um terminal compreendem lugares como o saguão de passageiros, sistema de pistas e pátio, salas de embarque e desembarque, sanitários, estabelecimentos comerciais e estacionamento de veículos. Objetos perdidos dentro da aeronave, por sua vez, são de responsabilidade da companhia aérea que opera o voo. Neste caso, o passageiro deve entrar em contato com a empresa para os procedimentos de localização e recuperação do pertence.

Como proceder?
 
Para acionar o serviço, o usuário deve contatar o setor responsável. A área ou pessoal a ser procurado depende do aeroporto: por exemplo, no Aeroporto Internacional de Belém/Val-de-Cans - Júlio Cezar Ribeiro (PA), o primeiro contato deve ser feito no balcão de informações do terminal. Já no Aeroporto Internacional de Cuiabá – Várzea Grande/Marechal Rondon (MT), o interessado poderá notificar imediatamente qualquer funcionário sobre a perda do objeto para dar conhecimento ao ocorrido. No entanto, se recomenda procurar o supervisor da Infraero no terminal ou a área de Ouvidoria para o início do processo. Em caso de dúvidas, a recomendação ao usuário é acionar o balcão de informações no aeroporto para obter esclarecimentos ou dar início à busca.


Identificação do objeto perdido

Ao repassar informações sobre a perda do bem, é importante que a descrição do objeto e das circunstâncias do ocorrido tenha o máximo de detalhes possível, contendo características e aparência do item, data e horário da perda e local aproximado em que o pertence foi perdido. A Infraero também pode entrar em contato com o proprietário do item caso o objeto tenha identificação e meios de contato. Nesse caso, o retorno ao usuário avisando sobre a localização do bem pode ser feito por telefone ou e-mail. É importante lembrar que itens perecíveis não são guardados nos Achados e Perdidos: a orientação no caso desses é que sejam descartados.


Recuperação do objeto
 
Para recuperar seu pertence, o proprietário deverá comparecer ao balcão de informações ou setor de Achados e Perdidos portando documento de identidade com foto e solicitar a devolução. Caso não seja possível retirar o objeto pessoalmente, o interessado poderá autorizar outra pessoa para receber o bem. A forma de autorização pode variar de acordo com o aeroporto. Entre os procedimentos possíveis, estão a entrega de procuração ou documento padrão de autorização e envio de e-mail informando a autorização e contendo descrição do item, dados pessoais do proprietário e da pessoa que irá buscar o pertence.
 
Os funcionários da Infraero são orientados a, caso encontrem objetos perdidos nas dependências, encaminhar os itens para o supervisor ou para a área responsável. Feito isso, os pertences são registrados em sistema específico e armazenados na área de Achados e Perdidos, onde ficam por um período determinado, tipicamente de 60 dias, mas que pode variar de acordo com o aeroporto.
 
Uma vez decorrido esse tempo, o aeroporto poderá tomar providências para reencaminhamento dos itens, que também variam de acordo com o terminal. Em Belém, os objetos são encaminhados à Autoridade Judiciária, que decidirá a destinação dos mesmos. Dependendo da avaliação do juiz responsável, pode ser feita a doação ou o leilão dos itens. Em Cuiabá, decorrido o prazo de 60 dias, os itens são registrados em um mural público na sala de espera do desembarque com a relação do material em custódia por um período de mais 60 dias. Passado esse tempo, os objetos são doados para diversas entidades cadastradas no sistema de Achados e Perdidos do aeroporto.
 
O procedimento para o reencaminhamento é diferente para documentos de identidade. No caso de itens como passaportes e identidades nacionais, estes são encaminhados ao órgão responsável pela emissão da documentação (passaportes são repassados à Polícia Federal, por exemplo). Documentos de estrangeiros, por sua vez, são enviados ao consulado do país de origem do proprietário.

Curiosidades sobre objetos dos Achados e Perdidos
 
Há uma grande variedade de itens levados aos setores de Achados e Perdidos dos aeroportos da Infraero. Entre objetos comuns, estão carteiras, malas, guarda-chuvas, documentos, relógios, óculos, celulares e laptops.
 
Alguns itens mais curiosos também podem ser encontrados: por exemplo, os Achados e Perdidos o Aeroporto de Belém já receberam um osciloscópio (equipamento eletrônico que permite observar a variação de voltagens elétricas por meio de um gráfico), uma cadeira de rodas e até uma sacola com uma garrafa da cerveja Duff, do desenho animado Os Simpsons.
 
A quantidade de objetos encontrados nos terminais também é variada e pode aumentar dependendo da época. Em Belém, foram encontrados 1.207 objetos no ano 2012, sendo que, em julho, época de férias, houve o registro de 134 itens. Já em novembro, período de movimento menor, foram encontrados 74 itens no terminal paraense. Em Cuiabá, por sua vez,  foram encontrados 1.132 objetos ao longo de 2012. A taxa de devolução dos pertences em Belém fica em torno de 30%, sendo que, em Cuiabá, 32% dos objetos recebidos pelos Achados e Perdidos foram retornados.

Pin It
0
0
0
s2sdefault
powered by social2s

O que você achou? Comente