Os arredores do Porto de Itaguaí (RJ), localizado na Baía de Sepetiba, estão bastante visados pelos investidores brasileiros. A grande profundidade do canal de acesso e a localização privilegiada, longe dos grandes centros urbanos, são grandes atrativos para empresas do porte da Petrobras, Gerdau e Companhia Siderúrgica Nacional (CSN), que divulgaram nesta terça-feira (7) terem projetos em desenvolvimento para a instalação de novas unidades portuárias na região.

* Portos brasileiros nunca mais serão os mesmos
* Futuro de Itaguaí contempla cabotagem e quatro novos terminais

Nos primeiros anos de operação de Itaguaí - que foi inaugurado em 1982 -, o Porto atendia à movimentação de graneis sólidos. No entanto, nos últimos anos houve grande diversificação de cargas, com a instalação de terminais de contêineres, graneis líquidos e de apoio ao offshore. E é com dinheiro da iniciativa privada que Itaguaí busca se consolidar como porto concentrador, um dos objetivos traçados pelas gestões anteriores da Companhia Docas do Rio de Janeiro (CDRJ).

Foto: www.csn.com.br

A CSN administra o Sepetiba Tecon em Itaguaí

As três empresas citadas já possuem áreas industriais adjacentes no município de Itaguaí. Embora atuem separadamente, firmaram agora um memorando de entendimento para avaliar a possibilidade de construir empreendimentos em conjunto e compartilhar algumas facilidades sobre a superfície de água na região, como esteiras, transportadoras, dutos e píeres, preservando os interesses de cada empresa.

Devagar
Apesar dos investimentos previstos, a dragagem de aprofundamento em Itaguaí anda a passos de tartaruga. Apenas 2% dos R$ 210 milhões previstos para os serviços já foram liberados, segundo o mais recente balanço do programa de Aceleração do Crescimento (PAC).

Pin It
0
0
0
s2smodern
powered by social2s

*O Dia a Dia é o editorial do Portogente publicado de segunda a sábado e expressa fielmente a posição coletiva dos responsáveis pela redação do website