A capital paulista recebe, até quarta-feira (18), o Ciclo de Exportação São Paulo, evento focado na promoção do comércio internacional para micro, pequenas e médias empresas (MPMEs). Participam cerca de 100 indústrias brasileiras, 30 empresas comerciais exportadoras/tradings e dez importadores da América Latina, com a expectativa de gerar US$ 8,2 milhões em negócios ao longo dos três dias.

O evento multissetorial, que será realizado no Hotel Tivoli Mofarrej, é promovido pelo Conselho Brasileiro das Empresas Comerciais Importadoras e Exportadoras (CECIEx), pela Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), pela Federação das Indústria de São Paulo (Fiesp), pelo Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp) e pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de São Paulo (Sebrae-SP).

“Se parte expressiva das empresas brasileiras de pequeno porte conseguir exportar, o Brasil vai alavancar exponencialmente sua participação no mercado internacional. A exportação é a base, é o termômetro do desenvolvimento de um país. Infelizmente, carecemos de políticas públicas eficazes que incentivem a indústria de pequeno e médio porte a se inserir no comércio globalizado. Sem incentivo, sem cultura exportadora e muitas delas defasadas do ponto de vista tecnológico, não há competitividade”, comenta Rita Campagnoli, presidente do CECIEx. Ela lembra que 99% da força empresarial brasileira são de micro e pequeno porte, segundo a RAIS 2015.

Rita acrescenta que, por outro lado, a introdução das pequenas no mercado externo tem se incrementado via exportação indireta, ou seja, por meio das comerciais exportadoras. “As comerciais realizam o trabalho de difusão e comercialização dos produtos e marcas brasileiras. Não só levam o produto ao mercado externo, via exportação, como também têm o olhar da inovação, trazendo atualidades e tendências para as indústrias brasileiras. Elas têm enorme potencial para incrementar a exportação brasileira e contribuir para que a pequena e média indústria se fortaleça, se reinvente e se torne competitiva”.

“Considerando a experiência de edições anteriores do Brasil Trade, convidamos para participar compradores de países da América do Sul como Bolívia, Colômbia, Equador, Peru e Uruguai. Estes mercados foram escolhidos devido ao menor nível de exigência técnica e operacional em comparação com países de mercados mais distantes como os mercados norte americano, europeu, árabe e asiático. Isso ajuda na inserção das MPMEs em mercados mais familiarizados com produtos brasileiros e com uma cultura de consumo próxima à nossa, o que ajuda a começar a exportar”, detalha o Coordenador de Promoção de Negócios da Apex-Brasil, Rafael Prado.

Os segmentos prioritários para o Ciclo de Exportação São Paulo são: bebidas alcoólicas e não alcoólicas; frutas; massas, biscoitos e outras preparações alimentícias;
alimentos orgânicos; material de limpeza; carne bovina, suína e de frango; leite e derivados; chocolate, balas e confeitos; cereais, temperos e especiarias; mel; balas, doces e confeitos; plásticos; higiene e cosméticos; casa e construção; máquinas e equipamentos.

Pin It
0
0
0
s2smodern
powered by social2s