É certo que a passagem do furacão Katrina pela costa dos Estados Unidos vai deixar lembranças terríveis aos milhares de habitantes que viviam nas cidades atingidas pelo fenômeno. Uma das mais devastadas foi a cidade portuária de Nova Orleans. O café seria o único produto afetado pelo furacão. De acordo com o site americano www.nybot.com os problemas com o café estão relacionados às condições dos armazéns e do produto estocado no Porto de Nova Orleans que foi duramente atingido. Não se sabe ainda quando o porto voltará a sua operação normal.

 

Enquanto a principal potência econômica do mundo passa por essa tragédia social, o Brasil, sem furacões e tornados, atravessa uma fase positiva no que tange às exportações. Somente pelo Porto de Santos, o aumento foi de 12,5% no acumulado do ano. E o café está com desempenho extraordinário em 2005. Até julho, os embarques do produto em grão, torrado e na modalidade solúvel, aumentaram 125,5%, ou seja, para 394,9 mil toneladas. A Codesp acredita que pode haver quebra de recorde de exportações registrado no ano de 1909, quando foram embarcadas 787,8 mil toneladas de café, o que representou à época o equivalente a 98% do movimento de exportação do porto. 

 

Realmente as condições climáticas brasileiras favorecem o plantio do café. De acordo com o presidente da Associação Comercial de Santos, José Moreira da Silva, a principal região produtora é Minas Gerais que responde por 51% das exportações do Brasil. "A expectativa é de que neste ano a safra seja de 34 milhões de sacas", avalia. O Brasil, maior produtor de café do mundo, perde somente em consumo para o seu principal importador. Os Estados Unidos consomem, em média, 5 Kg/por pessoa/ano de café contra 4,15 Kg dos brasileiros. Depois dos EUA, Alemanha, Itália e Japão são os principais importadores do café brasileiro.

 

Como funciona

 

A colheita do café no Brasil é feita quando a maioria de seus frutos está no estado cereja (maduro). O café é rifado, juntado e abanado para a retirada de folhas e ramos. Em seguida, deve ser medido e para isso, ele é ensacado.

 

Após essa fase, o café cereja deve ir para a secagem em terreiros ou secadores. O sol é essencial em caso da secagem manual. De cereja a coco, o café seco é depositado à granel em tulhas ou ensacado e armazenado em paióis (com isolamento do chão). O café seco deve ficar em "coco" até o seu beneficiamento.

 

É importante que os produtores conservem o café em coco para não oscilar a umidade e haver futura perda no produto. O processo desde a floração (chumbinho) até o estágio final (coco) pode levar de quatro a seis meses. A produtividade do Brasil é de 13 a 16 sacas por hectare.

 

Descascado e ensacado, o café verde é transportado por caminhões em sacas para os terminais onde os grãos vão ser preparados a pedido do exportador, que já conhece a melhor forma do produto chegar ao seu país de destino.

 

 

O fiel de armazém Alexandre Rodrigues explica que depois de descarregar o caminhão, é separada uma amostra do café para avaliação do exportador. Um classificador avalia o grão e sob orientação da empresa é solicitado o tipo de operação. Se os grãos devem ser rebeneficiados ou não, catados etc. Se devem ser embarcados à granel ou em sacaria. 

 

O rebeneficiamento é quando o café é separado por peneira, ou seja, por tamanho de grão, do mais graúdo ao moca. A próxima etapa do processo é a ventilação onde são retirados as impurezas e grãos defeituosos (que, posteriormente, serão consumidos por nós!). Depois segue para a catação eletrônica. Um equipamento usa um sistema de foto-célula para separar os grãos  pretos e os bem verdes (que podem estragar a bebida) usando uma válvula ejetora. É possível catar 160 sacas por hora, cerca de 9.600 quilos de café.

 

Preparado o café, uma nova amostra é enviada ao exportador. É o produto final que deverá ser aprovado.

 

Existem três maneiras do café ser embarcado nos contêineres: em sacaria; a granel em big bags (grandes sacos); ou no sistema de bulk line, a granel num único bag. Para se ter uma idéia, num contêiner cabem até 320 sacas de 60 kg cada (ideal 300 sacas). Se for carregado com big bags, o volume é de 20 bags de uma tonelada cada, ou seja, cerca de 333 sacas. Já se a carga for a granel em bulks, cabe o equivalente a 360 sacas. Neste último método o contêiner é estufado em 22 minutos e está pronto para ser embarcado.

Pin It
0
0
0
s2smodern
powered by social2s