Monalisa Gomes* Diretora Executiva (CEO) da Fronius do Brasil, subsidiária do grupo austríaco que se dedica a soluções inovadoras nos segmentos energia solar, carregadores de bateria e tecnologia de soldagem.

O cenário global se modificou muito rapidamente com a pandemia e, assim como a mim, pegou muitos líderes desprevenidos. Por mais ágil que fosse a empresa no quesito adaptação, ninguém poderia prever o que estava por vir nesse início de 2020 e, infelizmente, muito pouco sabemos sobre o que ainda virá.

Com o aumento das incertezas, para mim, o recurso mais valioso das organizações é amplamente afetado: o bem-estar dos colaboradores. O momento pede por ações extremas, rápidas e, diante de um cenário instável, com providências nem sempre fáceis de serem decididas. Todos os dias me reúno com nosso comitê de crise e somos exigidos a ir além dos padrões das quais estávamos habituados; as circunstancias estão nos fazendo rever prioridades, redefinir rotas e criar novas estratégias quase que diariamente. Cada dia mais, como líder, meu papel é ser uma facilitadora ativa de novas ações e possibilidades, conduzindo espaços de debate e reflexão de qualidade de onde saem soluções coletivas e inovadoras.

Em 2019, o Fórum Econômico Mundial fez uma pesquisa com vários líderes ao redor do mundo para identificar como a liderança deve se comportar e, mesmo sem cogitarem que viveríamos os cenários atuais, os principais elementos identificados se encaixam perfeitamente em nossa realidade.

O futuro não é mais o lugar para onde estamos indo, mas sim o lugar que estamos construindo aqui e agora.

A liderança do futuro é o ser humano e, consequentemente, o profissional que está neste momento preocupado em desenvolver suas soft skills; ou seja, habilidades que lidam com a relação e interação com outros, os traços e comportamentos que caracterizam nossos relacionamentos humanos.

Quanto mais flexível você for, mais facilidade terá para ver novos padrões e fazer associações entre diferentes ideias. Amplie seus interesses, faça leituras fora de sua zona de conforto e conviva com pessoas que desafiem suas visões de mundo.

Leio muitos artigos sobre: Liderar em momento de crises, porém poucos falam o humano que é esse líder! Como ser humano no papel de líder?

O líder não é o "chefe", ok?! Líder são todas as pessoas que inspiram e influenciam outras, independente do seu cargo ou posição dentro de uma organização.

O líder é, antes de tudo, humano! Portanto, é muito importante saber que não existe fórmula mágica e muito menos decisões certas e erradas: eu prefiro seguir a máxima que existem decisões necessárias, que são tomadas com base em dados e fatos do momento em questão.
A liderança é o piloto de um avião em alta velocidade. Temos diversos instrumentos e contamos com o apoio das nossas equipes, mas não somos super-heróis, por isso, precisamos construir uma rede de confiança mútua entre líder e liderado e é nossa missão tornar os objetivos claros, assim como mostrar onde estamos vulneráveis e reconhecer onde estão os problemas, pois somente assim eles poderão ser corrigidos e diariamente os processos melhorados.

A transparência traz clareza a todos, principalmente diante da crise, onde fica claro que somente com união e entendimento de todos seremos capazes de atravessar qualquer situação.

Assim como no avião, em caso de turbulência coloque a máscara primeiro em você e depois ajude os demais ao seu redor, ou seja, o líder deve reconhecer quando é necessário pedir ajuda. Isso não é fraqueza! É sinal de autorreflexão constante e humildade.

O líder precisa ouvir quando ele não é o dono do processo. A decisão final pode até ser dele, mas o especialista precisa ter voz ativa para trazer os fatos e argumentos que são relevantes e importantes para tal deliberação; isso demonstra respeito e confiança nos membros da equipe. O líder necessita ser congruente, ou seja, seu discurso, atitudes e ações precisam estar alinhados com o que prega, ele é o primeiro a zelar pela cultura da empresa e o responsável na condução dos demais por esses caminhos. Viva aquilo que você exige, seja exemplo!

Mesmo em momentos incertos, acredite em você: em mares agitados a confiança é o guia.

Se você ocupa uma posição de gestão é porque mereceu esse lugar. Confiança gera conexão, cria um ambiente através de acolhimento, transparência e aceitação da vulnerabilidade.

Demonstre sua humanidade e saiba que coragem não é desprovida de medo. Afinal, por que admiramos pessoas corajosas? Porque sabemos que eles enfrentam os próprios desafios, limitações e semeiam segurança. A coragem planta a esperança.

Você já viu o que uma pessoa cheia de confiança é capaz de realizar?

Pin It
0
0
0
s2sdefault
powered by social2s

*Todo o conteúdo contido neste artigo é de responsabilidade de seu autor, não passa por filtros e não reflete necessariamente a posição editorial do Portogente.

O que você achou? Comente