PF desmontou esquema de venda de carnes em estado irregular - Foto: Agência Brasil

Em nota enviada à imprensa, a Sociedade Rural Brasileira (SRB) elogiou a “Operação Carne Fraca”, deflagrada pela Polícia Federal em ação que prendeu 36 pessoas em todo o País. A entidade defende a importância da apuração dos fatos, assim como a responsabilidade na sua divulgação, de modo que seja realizada com o devido cuidado para esclarecer a opinião pública sobre o grau das diversas irregularidades identificadas. A nota também aponta a importância de separar os profissionais e empresários que cometeram crimes daqueles que trabalham com boas práticas no setor.

A SRB, no mesmo documento, solicita que os resultados das investigações sejam apresentados rapidamente e com responsabilidade, evitando assim a generalização de que há riscos à saúde pública no Brasil e dos clientes da carne brasileira na comunidade internacional. O presidente da SRB, Marcelo Vieira, alega que “não é toda a produção do Brasil consumida no mercado interno ou exportada que apresenta os tipos de problemas identificados”.

A Operação Carne Fraca se deparou com uma série de irregularidades praticadas por frigoríficos, desde empreendimentos de pequeno porte até unidades de companhias gigantes como a BRF e a JBS. Entre as descobertas da operação deflagrada contra esquema de corrupção de fiscais há carnes com salmonela, podres, misturadas com papelão ou vencidas há 90 dias.