Carga tributária de 40% do PIB é inviável com o crescimento e competitividade do País
 
 
O PNBE – Pensamento Nacional das Bases Empresariais apoia a FIESP – Federação das Indústrias do Estado de São Paulo na posição contrária à criação de novos impostos ou contribuições.
 
 
A sociedade brasileira não precisa de mais impostos. Precisamos, sim, de mais qualidade na gestão pública, com a devida atenção à saúde, à educação, à habitação, ao emprego, à mobilidade urbana, à logística, à infraestrutura e à competitividade.
 
 
O PNBE – Pensamento Nacional das Bases Empresariais é uma associação de empresários conscientes que luta há quase 20 anos pelas causas nacionais. A entidade  propõe à sociedade que se mobilize e se manifeste junto aos poderes públicos nos três níveis para que não seja aprovado nenhum aumento de gasto público nas esferas do Executivo, Legislativo e Judiciário, até que haja um compromisso efetivo e com base em lei, de que a carga tributária seja reduzida como porcentual do PIB. A proposta do PNBE é de que seja feita  uma redução de 1% ao ano, até atingir  no máximo o valor de 22% em relação ao PIB, que é um valor compatível com um crescimento decente e necessário da economia brasileira e que era praticado antes  da Constituição de 1988.  
 
 
“Enquanto empresários cidadãos não podemos conviver pacificamente com uma carga tributária de quase 40% do PIB nacional. Entendemos que os serviços públicos devem ser compatíveis com a necessidade do País. E que a gestão correta, transparente e eficiente dos recursos públicos permita que a carga tributária seja reduzida em termos percentuais ao longo do tempo”,  finaliza o empresário José Roberto Romeu Roque, 1º. Coordenador geral do PNBE.
 
Fonte: Assessoria de Imprensa
Pin It
0
0
0
s2sdefault
powered by social2s

O que você achou? Comente